Divergente

| 06 março 2013 |

Beatrice Prior nasceu em um mundo pós-guerra em que as pessoas são divididas em facções. Para aqueles que acreditam que a guerra ocorreu por causa da ignorância escolheram a Erudição; por causa do egoísmo, a Abnegação; por causa da covardia, a Audácia; por causa da duplicidade, a Franqueza e por causa da agressividade, a Amizade.

Beatrice nasceu na Abnegação, mas todos os dependentes até os 16 anos vivem nas facções em que nasceram e depois durante uma cerimônia podem escolher permanecer ou mudar de facção. Beatrice nunca realmente teve as qualidades necessárias para ser da Abnegação, mas pensava em escolhê-la só para permanecer com seus pais e seu irmão, pois se escolhesse outra facção sua família deveria ser esquecida, pois a facção sempre vem antes do sangue.

Durante os testes de aptidão (testes que envolvem simulações, para verificar as possíveis escolhas de facção), Beatrice descobre ser uma Divergente, pois possui qualidades da Abnegação, Audácia e Erudição. Ser Divergente é muito perigoso, e a pessoa que aplicou o teste em Beatrice a avisa que ela não deve comentar com ninguém o que ocorreu. Beatrice não sabe o motivo e fica assustada.

Na cerimônia de iniciação seu irmão Caleb escolhe a Erudição e Beatrice após muito debate interno escolhe a Audácia, isso acaba por se tornar um escândalo, pois raramente nascidos na abnegação mudam de facção.

Divergente é um livro magnífico, onde a leitura é dinâmica e com pontos muito interessantes. Onde vemos como é a vida em cada facção, como por exemplo, as roupas simples e cinzas com cabelos cortados simploriamente dos membros da abnegação contrastam com as roupas pretas, tatuagens e piercings dos membros da audácia.

Afinal realmente é possível viver seguindo a risca somente uma virtude? Com o decorrer do livro percebemos que existem muitos divergentes e que os mesmos precisam esconder esse fato, pois não querem se destoar do resto da sociedade, pois se você não tem facção, vive isolado e sem qualquer recurso.

É muito interessante a iniciação na Audácia e as diferenças da vida na Abnegação em que Beatrice vivia. Ela até muda de nome e é chamada de Tris. A iniciação não é fácil e os iniciados possuem dois tutores Quatro e Erik. Quatro é um dos personagens em que os fãs de divergentes mais gostam, pois ele trata a “mocinha” da história de maneira valente e corajosa e não somente achando que ela precisa de sua proteção o tempo todo. A história de Quatro também é muito interessante.

O final do livro é de tirar o fôlego e completamente surpreendente. E você fica com aquele pensamento “Onde está o segundo livro, quando se precisa dele?”.

Recomendo Divergente, se você não leu o faça o mais rápido possível, pois não sabe o maravilhoso livro que está perdendo.

5 comentários:

  1. esse livro é maravilhoso, uma das melhores distopias do mundo. E no final eu fiquei meio ''isso está mesmo acontecendo?'' hahah eu amei, parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  2. Eu já li todos os livro e tenho o 3º. Amo demais essa trilogia e super recomendo a todos!!!
    Também acho uma besteira os fãs ficarem perdendo tempo com bobagens de comparações com Jogos vorazes só porque são ambos distopias. Gente, são realidades e propostas diferentes, apenas se apaixone pela história, pelos personagens e seja feliz. Pronto!
    Parabéns pela resenha.
    Preciso ir logo ver o filme. =D
    Bjs!!!

    Camila Costa de Jesus

    kmilacj@hotmail.com

    @kmilacj

    https://www.facebook.com/camila.costadejesus.5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, comparações é coisa de quem não entende e não parou para conhecer as histórias realmente. Veja o filme, está fantástico :D

      Excluir
  3. #Amei adoro esse livro já li e me apaixonei.

    ResponderExcluir