A Garota Que Eu Quero

| 27 abril 2015 |
Cameron se considera um perdedor. Nunca fez nada de importante na vida e vive a sombra dos dois irmãos mais velhos. Um de seus irmãos, Rube, é alguém pelo qual as garotas praticamente se estapeiam para conhecer, enquanto Cameron só espera por uma garota, aquela que saciaria os desejos guardados dentro de si por muito tempo. O problema é que Cameron se apaixona exatamente por uma das conquistas de seu irmão. Octavia é exatamente a garota que ele quer.

Quando eu comecei a ler “A Garota Que Eu Quero”, não sabia exatamente o que pensar sobre essa história. Sendo esse um livro de Markus Zusak, o autor do fantástico “A Menina Que Roubava Livros”, tenho que confessar que estava com um pouco de medo de ler e me decepcionar, principalmente com um livro de título tão simplório, porém, por mais que não seja um clássico como a história de Liesel, esse livro também consegue ter o seu charme e Cameron consegue fazer com que o leitor também consiga desfrutar de sua história.

Esse é um livro que prova o quanto faz diferença a qualidade do autor em uma narrativa. Não posso falar da história desse livro sem dizer que ela é simples. Não é uma grande história, com grandes feitos ou grandes personagens, porém, o autor é tão formidável que, naquele pequeno mundinho, com pequenos personagens, onde a morte do cachorro do vizinho consegue ser a grande tragédia da narrativa, nós somos envolvidos por aquelas páginas da mesma forma quando ele contou, através do olhar da morte, um grande evento da história da humanidade.

A história desse livro é bem diferente, mas, é impossível não associar a forma como se passa a narrativa com “A Menina Que Roubava Livros”. Desde a diagramação, que são idênticas, até a forma como o autor conduz a história, entre narrar os acontecimentos, intercalando com crônicas escritas pelo próprio personagem, que lembra completamente quando a morte falava diretamente com os leitores, não tem como ler esse livro e não achar que possa estar lendo a outra história.

Eu realmente gostei da forma como o personagem principal foi construído. Ele é um adolescente tão normal, tão “gente como a gente” que é impossível não simpatizar com sua história e com seus problemas. Ele não é melhor em nada, vive a sombra dos irmãos, e descobre que não precisa ser nada além do que ele já é para ser feliz. O autor poderia ter mudado o personagem, transformado o perdedor no cara mais cobiçado do colégio, mas ele preferiu usar uma estratégia muito menos usada, mas muito mais real. Cameron apenas aceitou quem ele era, a vida ótima que ele tinha e que podia confiar mais em si mesmo, exatamente do jeito que ele era. Isso é uma coisa realmente difícil de ser escrita e, quando bem feita, temos um resultado onde o simples se torna genial.

“A Garota Que Eu Quero” é um livro escrito com maestria de quem sabe o que está fazendo. Como construir e conduzir os seus personagens de forma que cada leitor se encante com eles. Achei muito interessante conseguir transformar uma história tão simples em uma leitura muito poderosa. Cameron pode ser só um garoto comum, mas de comum, esse livro não tem nada.


12 comentários:

  1. Quero muito esse livro
    nunca quis tanto um livro como quero esse
    parece ser muito bom
    apaixonada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Jessyca :D
      Espero realmente que esse livro encante você!

      Excluir
  2. Hey Jana, que resenha, viu? :) Adorei mesmo!
    Não tinha lido nada a respeito sobre esse livro, mas já vi a capa em vários lugares. Mas, pelo nome (e pela capa em si) achei que se tratava de algum romance clichê, do tipo de livro que eu leio só quando não tenho algo melhor pra ler (ou quando estou em ressaca literária).
    Mas, com tua resenha, me interessei de fato e fiquei curiosa pela história, por sua simplicidade. Ainda não li "A menina que roubava livros" (mas está na minha lista) e agora, "A garota que eu quero" também está :)
    Obrigada pela dica ;)
    Kissus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Sara!!!
      Eu também não tinha muitas informações sobre esse livro, e comecei a ler sem muitas expectativas, além dele ser de um autor de um outro grande livro, mas não me decepcionei, muito pelo contrário.

      Espero realmente que você goste, mas, depois que você ler, quero saber a sua opinião <3

      Beijos!!!

      Excluir
  3. Nossa tem muito tempo que estou querendo ler esse livro e agora depois de ver essa resenha preciso dele pra ontem, parece ser excelente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero realmente que você goste Milena :D

      Excluir
  4. Eu não tinha ouvido falar desse livro e pelo visto é daqueles que eu geralmente leio quando fujo de fantasia que é o meu gênero favorito, já vou deixar esse livro reservado pra quando estiver nesses casos. (E pegar A Menina que Roubava Livros logo!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você goste desse livro tanto quanto eu, Giovana :D

      Excluir
  5. Super concordo com a sua resenha
    Amei esse livro <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal, né Juliane?
      Simples, mas perfeito :D

      Excluir
  6. Ainda não li nada do autor, mas tenho bastante vontade. Vi que o livro é bem curtinho mesmo (se comparado a outros do mesmo gênero.). Isso me agrada, pois me dá a impressão de que o autor não vai se perder em meio a devaneios sem pé nem cabeça. Vai direto ao ponto. Só acho que se ele é o terceiro volume de uma trilogia, a Editora jamais deveria trata-lo como livro único. Então, já sabendo disso, assim que tiver oportunidade, vou ler os três na sequência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois nos conte o que achou do livro, Clarice :D

      Excluir