A Colina Escarlate

| 16 outubro 2015 |
Fantasmas são reais. Edith sabia disso desde a sua infância. Após sua mãe falecer, ela apareceu para a filha, com uma aparência, com certeza, muito mais sinistra do que a que tinha quando viva e trazia uma mensagem, para que Edith tomasse cuidado com “A Colina Escarlate”.

Edith Cushing (Mia Wasikowska) sofria os preconceitos usuais de uma mulher que gostaria de escrever livros de ficção em sua época. Como ela não escrevia histórias de amor, eram típicas as rejeições encontradas por ela por escrever sobre fantasmas, porém, o misterioso Thomas Sharpe (Tom Hiddleston) gostava de suas histórias e incentivava seu talento. Ela se encantou perdidamente pelo inventor, que precisava desesperadamente de alguém que investisse em sua nova criação. Quando o pai de Edith morre, deixando para filha uma grande herança, ela se casa com Thomas e se muda para um lugar muito distante. Uma casa muito antiga, literalmente caindo aos pedaços, mas que ela jamais imaginou que seria o tão temido lugar que ela havia sido orientada a manter distância: “A Colina Escarlate”.

Achei interessante a forma como a tensão foi criada no filme. Eu realmente evito filmes de fantasmas, devo confessar que sou um pouco medrosa se tratando desse gênero, porém esse filme não se enquadra, em minha opinião, exatamente no gênero terror. Apesar dos fantasmas e de cenas bem colocadas para assustar nos momentos certos, o filme em si gira muito mais em torno do suspense, do que os irmãos, herdeiros da Colina Escarlate, realmente sabem ou realmente estão tramando e de uma relação romântica criada para justificar a aproximação dos protagonistas, por mais que não tenha sido realmente o amor que fez com que Thomas se aproximasse de Edith, a química entre eles era tão perfeita, que eu torcia mais para que eles ficassem juntos, e me preocupava muito menos com a aparição de um ser sobrenatural.

Apesar disso, é impossível não embarcar na tensão criada na história. Por muitas vezes, acordando a noite sozinha, passeando por aquela casa totalmente sinistra, Edith nos levava por momentos em que você praticamente se segura na cadeira temendo o que poderá acontecer. Além disso, Lucille (Jessica Chastain), irmã de Thomas, consegue ser tão sinistra quanto qualquer fantasma em suas aparições. Uma mulher misteriosa e possessiva, com um olhar intimidador que nos faz desconfiar de cada uma de suas atitudes e de suas reais intenções.

O filme “A Colina Escarlate” pode ser definido em uma palavra: “tenso”. A tensão permeia a narrativa do começo ao fim. Seja esperando a aparição de seres sobrenaturais, ou tentando entender aqueles irmãos misteriosos, você vai segurar nas mãos da protagonista e não desgrudar os olhos da tela até o fim do filme.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Hehehe. Eu gostei do filme, apesar de ficar bem assustada com esse tema, esse filme é mais tenso do que assustador mesmo, talvez você goste :D
      Beijos!!!

      Excluir
  2. Não conhecia esse filme, mas como gosto de filmes e livros com histórias relacionadas ao sobrenatural, adicionei ele em minha lista de filmes para assistir, pois parece ser muito bom, pretendo assisti-lo em breve.

    ResponderExcluir
  3. Jana, A Colina Escarlate é um dos filmes mais desejados por mim este ano. Mesmo com o seu toque de terror, gênero que não sou muito fã, ele me envolveu de uma forma surpreendente, me prendendo ao trailer do começo ao fim. Quero conhecer um pouco mais sobre estes fantasmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você goste :D
      Depois me conte o que achou
      Beijos!!!

      Excluir