Redoma

| 12 novembro 2015 |
A pessoa que Jam mais amava no mundo era Reeve Maxfield. Namorar com ele era como viver em um sonho todos os dias. Ter que lidar com a sua ausência era viver em um completo pesadelo. Quando Jam foi mandada para um internato para adolescentes com problemas emocionais, ela não imaginava o quanto escrever em um diário poderia mudar a sua vida, o quando a “Redoma” a faria se sentir viva novamente, mesmo que para isso ela precisasse abrir mão de sua vida verdadeira.

Após não conseguir superar sozinha a morte do namorado, Jam é enviada para um internato especializado em adolescentes que tinham passado por algum trauma, e que não haviam conseguido superá-lo. O Celeiro era o último lugar em que ela gostaria de ficar. Tudo o que ela queria era ficar encolhida em sua cama pensando em Reeve, porém, ao ser aceita em uma matéria especial e exclusiva, onde eles tratariam durante o semestre sobre a obra “A Redoma de Vidro”, os poucos alunos ali presentes receberam um diário misterioso, que os levaria para lugares inimagináveis.

Quando Jam escrevia em seu diário, ela era transportada para um mundo que eles apelidaram de “Redoma”. Nesse lugar, Jam podia ficar novamente com Reeve e tudo era perfeito. Ele era exatamente como ela imaginava, porém, o diário não duraria para sempre e a vida real continuava a seguir o seu curso. Jam teria que decidir se abandonaria tudo para ficar para sempre com seu grande amor, ou superaria os seus traumas para seguir em frente.

Devo dizer que não é à toa que esse livro foi eleito o livro jovem do ano. É preciso ter muita capacidade para transformar uma história simples em algo genial, e Meg Wolitzer conseguiu alcançar a fundo todas as contradições, mecanismos de defesa e divagações da mente humana, para construir uma narrativa perspicaz, ao mesmo tempo singela e encantadora.

As pessoas lidam com seus traumas de formas diferentes, e os traumas em si foram retratados de formas completamente diferentes. Sabemos, logo no começo do livro, que Jam perdeu o amor de sua vida, e o que poderia ser pior do que isso? Porém, é impossível medir o tamanho de um trauma pelo acontecimento em si. Cada um dos membros da aula “Tópicos Especiais em Inglês”, consegue fazer com que o leitor se emocione com a sua dor, entenda o seu trauma e não precise colocar em comparação com a dos outros. Um momento difícil em sua vida pode ser muito difícil de se superar, mesmo pensando que existem pessoas em situação muito pior, cada um só pode entender realmente a sua dor, e como ele chegou até ali.

Era impossível não se sentir um pouco deprimida a cada página, conhecendo personagens com acontecimentos que trouxeram tanto sofrimento, mas é incrível poder acompanhar como cada pessoa reage de uma forma diferente a algo traumático. Você pode querer se esconder do mundo, se revoltar com a vida, criar uma realidade completamente diferente para superar o que aconteceu, mas, no fundo, o sentimento de que você não pode superar aquilo, não pode seguir em frente com toda aquela dor, é exatamente o mesmo.

Foi fantástica a forma que a autora criou para que os personagens pudessem reviver os seus traumas. Como em um psicólogo, que você está sentado no divã, contando tudo o que aconteceu de traumático em sua vida, no livro, mais ludicamente, os personagens realmente revivem na Redoma como eram as suas vidas antes delas desmoronarem e podem repensar os seus atos e como tudo aquilo que aconteceu em seu passado pode destruir o seu futuro. Escolher entre continuar ou não na redoma, escolher entre seguir em frente, superando o passado ou simplesmente parar no tempo.

“Redoma” é um livro genial. Essa é uma história que trata basicamente sobre várias formas de expressão da mente humana, como as pessoas reagem e se defendem de traumas e como é possível se enterrar completamente neles ou superá-los. Depende apenas de você. 

10 comentários:

  1. O que mais me chamou atenção no livro foi a sua premissa. Além disso, os personagens da obra aparentam ser bem cativantes, daqueles que você se coloca no lugar de tal personagens, sentindo o que ele sente. Com isso, só mostra que a escrita da autora é ótima, o que me deixou muito feliz. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou :D
      Espero que também goste do livro.
      Beijos!!!

      Excluir
  2. Nossa esse livro parece ser excelente, história super emocionante e intensa, essa é a primeira resenha que vejo dele e me deixou bastante interessada em conferi isso tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que esse livro também encante você :D
      Beijos!!!

      Excluir
  3. Jana!
    É o tipo de livro que me conquista, porque adoro ver como a mente humana consegue resolver seus problemas e aplicar a resiliência e o aprendizado.
    Me interesso demais pela psicologia e ver que a autora usou de artíficios, como a escrita em um diário para resolução, torna o livro bem promissor.
    “A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.”(Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é realmente fantástico. Espero que você goste :D
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Adorei sua resenha, inicialmente eu só tinha visto esse livro mas ainda não tinha lido nem uma resenha e vi aqui nessa resenha a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história do livro Redoma e sinceramente achei fantástica, do autor criar um contexto e os personagens principalmente a Jam reviver seus traumas com um diário, e fiquei curiosa para saber se ela vai preferir encarar a vida real ou vai preferir ficar na Redoma, escrevendo e revivendo momentos com seu falecido namorado. Quero muito ler esse livro e adicionei ele em minha lista de leituras, espero gostar tanto dele quando você transmitiu que gostou da leitura em sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você ficou interessada :D
      Fico muito feliz com isso.
      Depois, me conte o que achou da história e se gostou do final.
      Beijos!!!

      Excluir
  5. Oi, Jana. O que me surpreendeu neste livro foi saber que o mesmo foi eleito o livro jovem do ano. Bom, a história de dificuldades de Jam me cativou desde o inicio, me coloquei no lugar da personagem para tentar saber o que se passava por sua cabeça, mas creio que só será possível com a leitura do livro por completo. Jam é uma adolescente com traumas bem cativantes, mesmo não dialogando muito, a autora consegue nos por no mundo da garota. Realmente, cada um lida com seu trauma da sua forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ycaro!

      Esse livro é genial, a trama muito bem elaborada e o final surpreendente.
      Depois me conte o que achou.
      Beijos!!!

      Excluir