A Herdeira

| 07 fevereiro 2016 |
Eadlyn é a herdeira do trono de Illéa. Filha de Maxon e América, ela não nasceu em uma casta menos favorecida e não cresceu convivendo com um pai opressor. Sendo assim, crescendo cheia de amor, com poucas limitações e sabendo o poder que possuía, talvez ela não fosse uma herdeira tão querida, amada e carismática quanto seus pais.

Quando novos distúrbios começam a assolar o país, uma nova seleção é necessária para servir de distração, e talvez para a princesa aprender que existem muitas coisas importantes na vida de alguém, além do poder.

Como uma pessoa completamente apaixonada pela trilogia original, fiquei bem surpresa com o que eu encontrei nesse livro. Eu não esperava que o reinado de Maxon enfrentasse tantos problemas políticos, apesar deles serem muito bem explicados, e não esperava que a filha desse casal, que encantou tantos leitores, tivesse uma personalidade tão peculiar.

A Princesa acredita que sua vida seja um martírio, que o seu fardo e suas obrigações são maiores que a de qualquer pessoa, que ela deve demonstrar o seu poder a todo momento, apesar de isso muitas vezes ser responsável por muito constrangimento, inclusive para os selecionados que disputam a sua mão.

Não que ela faça isso de propósito, suas atitudes, geralmente, não tem a repercussão que ela gostaria, muitas vezes suas intenções são boas, apesar de muitas coisas não saírem conforme planejado, ou serem vistas de formas erradas, mas, o que realmente me intrigou, é a forma como ela se fecha para os seus pretendentes, como ela não permite que ninguém se aproxime realmente, como se ela já tivesse passado por alguma situação que justificasse tanto medo de amar alguém, supondo que ela tenha um exemplo maravilhoso dentro de seu próprio lar.

Por outro lado, estou achando fantástico poder acompanhar uma seleção do ponto de vista da selecionadora. Era fácil torcer para a América vencer quando ela era narradora dos livros, agora é praticamente impossível escolher um único favorito entre tantas boas opções. Eu mesma estou dividida entre três pretendentes. Imagine a princesa.

Gostei do livro de um modo geral, principalmente por saber o que aconteceu com todos os personagens da série original. Fico também bem ansiosa pelo próximo livro. O final deixou bem claro que a protagonista terá que amadurecer muito e mudar o seu jeito de ser, se ela realmente quiser se tornar a Rainha que ela nasceu para ser.

8 comentários:

  1. Jana!
    Me parece que ela foi bem mimada e preparada para ser assim, porém não sou evoluir.
    Não li nenhum dos livros da série, porém tenho muita curiosidade.
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo esses livros, Rudy <3
      Espero que você goste também :D
      Beijos!!!

      Excluir
  2. Jana desde do ano passado quero essa saga, ainda não li nenhum livro, triste neh :(, mas desse ano não passa, só de ler as resenhas já to caída de amor por esse mundo de A seleção. Kiera Cass é uma autora muito boa mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que você vai se apaixonar por essa romântica distopia <3
      Beijos!!!

      Excluir
  3. Não li nenhum livro da série...mas, essa narrativa, possivelmente, não prenderia minha atenção, apesar dos momentos reflexivos que a autora apresenta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma série mais para quem gosta de romance. Apesar de ser uma distopia, a parte política realmente não é muito explorada. Mas eu amo romance, então amo os livros :D
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Só eu que não li nada da autora? Cara tá feio a coisa, mas espero poder ler logo, porque acho essas capas divas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero realmente que você goste :D
      Beijos!!!

      Excluir