Passarinha

| 09 junho 2016 |
Caitlin é uma garotinha mais que especial. Alguém que tem o poder de nos fazer ver o mundo de outra forma. Seu irmão, Devon, era uma das únicas pessoas capazes de fazê-la compreender o mundo, o que as pessoas esperavam dela, mas agora ele se foi e Caitlin tem certeza que tudo o que ela e o pai precisam é de um desfecho para seguir em frente, por mais que ela não saiba onde realmente encontrar um.

Esse é um daqueles livros que você nem sabe por onde começar a falar dele, que você realmente quer escrever, passar todos os sentimentos que essas páginas foram capazes de produzir dentro de você, mas sabe que essa é uma missão quase impossível, que apenas lendo é possível compreender a obra prima que a autora Kathryn Erskine criar nessas páginas.

Não é à toa que esse é um livro tão premiado. A personagem principal tem Síndrome de Asperger, um autismo considerado leve, porém, que prejudica seriamente sua interação social com outros indivíduos e faz com que ela veja o mundo de uma forma muito própria, que para ela é completamente normal. Seu irmão, Devon, que era a única pessoa que realmente a entendia, que cuidava para que ela conseguisse superar as dificuldades, foi assassinado durante um massacre que ocorreu na escola em que ele estudava. Tendo perdido a mãe há muito tempo, só lhe restava o pai como membro da família, porém, além de sofrer de forma incalculável pela morte do filho, ele não tinha a mesma habilidade que Devon para tentar entender e ajudar a filha, por mais que se esforçasse para isso.

Ler essa história é quase como ter uma mão apertando seu coração do começo ao fim. Tão tocante e marcante ler sobre a aceitação, a perda e o ato de seguir em frente de alguém que é tão diferente para o mundo, mas tão normal para ela mesma. Em momento algum ela se vê como alguém diferente. Caitlin sempre respeita o que lhe pedem, seja para ser educada ou fazer novos amigos (mesmo que ela tenha pavor disso), é portadora de um entendimento e honestidade muito diferentes dos nossos, mas que em momento algum deixam de ser verdadeiros.

A fatalidade que acontece sobre essa casa, o dia em que a família desmoronou, já aconteceu no começo do livro, mas, as lembranças que Caitlin tem do irmão, nos fazem sofrer a cada momento por uma perda irreparável. É impossível não querer chorar com o sofrimento de um pai que já tinha perdido a esposa, que criava os filhos sozinho, vítima de uma tragédia inexplicável. Caitlin entende o mundo a sua volta, sabe que o irmão não vai mais voltar, mas isso não significa que ela não possa desejar isso, por mais que ela saiba que é algo que não pode ter.

“Passarinha” é um dos livros mais tocantes, sensíveis e marcantes que eu já tive a oportunidade de ler. É incrível o quanto podemos nos emocionar e aprender com essa história. Uma obra sobre tragédias. Uma narrativa sobre aceitar e entender as diferenças. Um livro que vai mudar a sua forma de ver a vida. Espero que eu tenha captado corretamente “O Sentindo” e possa levar para sempre essa história dentro de mim.

2 comentários:

  1. Parece ser uma leitura muito tocante e bela. Já li algumas resenhas e, a cada uma, me surpreendo mais. Quero muito ler esse livro.
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é emocionante. Tenho certeza que você vai amar <3
      Beijos!!!

      Excluir