Infinita

| 25 setembro 2016 |


Ana foi expulsa de Heart. Terríveis terremotos ameaçam destruir a civilização que todos conhecem. A ascensão de Janan está próxima, o que apavora a Almanova, agora que ela conhece grande parte da verdade que fez com que as almas reencarnassem tantas vezes. Para que outras Almasnovas não perecessem, ela teria que deter o homem que fez tantas atrocidades para se tornar imortal, mas isso teria um alto preço.

"Infinita" encerra a trilogia criada pela autora Jodi Meadows de forma interessante. Não foi um final épico, mas não deixou de ser uma grande conclusão para uma série que me encantou com sua originalidade e criatividade nesse mundo tão fantástico de almas e reencarnações.

Com um grupo muito seleto de amigos, incluindo as Almasnovas que nasceram após o escurecimento do templo, Ana e Sam deixaram Heart. Enquanto a maioria só queria proteger os filhos, almas que ainda não tiveram a oportunidade de viver nesse mundo, Ana sabia muito bem que sua missão era mais complicada e desafiadora: deter Janan e impedir a sua ascensão para que as outras almas presas no templo pudessem ter a chance de viver. Mas, o preço disso seria que Sam e todos os seus outros amigos jamais reencarnariam novamente. Eles passariam a seguir o fluxo normal da vida, mas talvez eles não estivessem preparados para isso, e ela não estivesse preparada para perdê-los.

Com ajuda das sílfides, que precisavam deter Janan para que fossem perdoadas pelos seus pecados passados, eles vão em busca de criaturas muito mais temidas e de uma arma muito antiga, que poderia ser usada para deter um ser que se tornara imortal.

Realmente me agrada muito quando os autores dão explicações realmente coerentes para explicar a importância dos protagonistas. Alguém como Ana, que já nasceu “especial” sendo a única Almanova desde que o processo de reencarnação começou, ganha uma importância ainda mais concreta no último livro da trilogia, porém as razões apresentadas para o leitor são surpreendentes e conversam muito bem com tudo o que nos foi narrado anteriormente. A autora realmente soube como aumentar a importância de sua protagonista, sem que isso fosse claramente só porque ela é a protagonista.

O casal principal, Sam e Ana, teve uma evolução tão angustiante e romântica, que foi impossível não se apegar totalmente a eles nesse livro. Nunca antes ficou tão evidente o quanto eles são diferentes, a culpa e a obrigação que cada um deles carregava nas costas, ele por ter reencarnado tantas vezes e ela por ser uma Almanova. Nesse caso, pudermos ver claramente o quanto a verdade e o senso de dever, de culpa, pode separar ou unir duas pessoas.

“Infinita” terminou a trilogia “Incarnate” de forma que vai agradar aos fãs da série. Com direito a redenções, grandes escolhas e segundas chances, esse livro questiona o certo e o errado, a vida e a morte de forma que, se fosse você a escolher, dificilmente saberia o que seria o correto. Vale muito a pena ler.

8 comentários:

  1. Acho muito interessante esse assunto do livro não poderia deixar de ler!!

    ResponderExcluir
  2. Incluindo mais livros pra minha listinha porque esse realmente me chocou procurei saber mais sobre a triologia e é maravilhoso, obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  3. Estou doida pra ler essa trilogia, curto muito esse gênero parece ser bem emocionante e essa resenha me deixa ainda mais curiosa em conferi o desfecho dessa série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você goste também :D
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Olá.
    Sua resenha está ótima, muito bem elaborada. Não conhecia a série, mas gosto desse gênero e já adicionei a minha lista. Suas palavras me motivaram mais ainda a ler! Obrigada pela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico super contente em ler isso, Márcia <3
      Depois me conte o que achou.
      Beijos!!!

      Excluir