Pensei Que Fosse Verdade

| 04 setembro 2016 |
Passar toda a sua vida em Seashell nunca foi o sonho de Gwen, mas aquele era o único lugar do mundo que ela conhecia. Sua pequena ilha era o lar de pessoas mais humildes e o local de lazer de pessoas financeiramente melhores do que sua família. Apesar de tudo, ela tinha uma vida cômoda, até o retorno de Cassidy Somers que, apesar de ser muito rico, passaria um tempo vivendo com padrões mais modestos, para aprender uma lição sobre a vida. Essa lição custaria a paz de Gwen, ou seria finalmente sua válvula de escape para a felicidade. Isso ela teria que decidir.

A autora, Huntley Fitzpatrick, consegue nesse livro trazer para o leitor uma narrativa diferente de seu livro anterior “Minha Vida Mora ao Lado”, mas com uma forma bem semelhante de encaminhar a sua história. Sua forma de colocar mistérios, deixar o leitor na expectativa, causar alguns choques, talvez tenham sido mais grandiosos no livro anterior, mas ela também consegue nessa obra manter um bom nível na história e nos prender a cada página.

Gwen é alguém extremamente insegura e acaba agindo de forma completamente diferente do que esperaríamos. Pessoas inseguras, geralmente, pensam mais nos seus atos, porém, no caso da protagonista, suas inseguranças a tornam impulsiva, fazendo com que a maioria de suas atitudes sejam precipitadas ou sem fundamento.

Cass parece um príncipe desde o primeiro minuto que aparece. Ele é meigo, carinho e perfeito demais para ser real, e é isso que a autora encaminha de forma interessante durante a história. Sabemos que Gwen e Cass tem um passado, mas demoramos para descobrir o que tanto a magoou. Você não consegue definir, até o final do livro, se ele é realmente dessa forma, ou se tudo aquilo é um grande plano para magoá-la novamente. A insegurança da personagem principal não nos ajuda a tomar uma decisão coerente antes de tudo ser devidamente explicado.

Gwen tem uma família completamente desajustada. Um primo que namora sua melhor amiga, mas que escondem grandes segredos dela. Um irmão menor que é o charme dessa história. Ele tem algum tipo de deficiência intelectual, por mais que ninguém saiba exatamente o que seja, mas ele consegue roubar todas as cenas com seu carisma. Seus pais não chegam a ser negligentes, mas também não são modelos de carinho e atenção, o que pode justificar as atitudes esquivas de Gwen.

A capa do livro é linda. Gosto muito de capas com personagens, mas que não revelam muito, deixando espaço para nossa imaginação preencher as lacunas. Impresso em papel pólen, que é sempre mais agradável para a leitura, está perfeito.

“Pensei Que Fosse Verdade” é um livro sobre confiança. Sobre tomar atitudes precipitadas e se arrepender. Sobre não parar para ouvir o outro e acabar se machucando. Sobre se subestimar, e achar que todos lhe consideram uma pessoa inferior. Gostei muito das mensagens passadas nesse livro e como ele termina de forma muito satisfatória. Você vai terminar a leitura com um suspiro de contentamento.

Visite o site da Editora Valentina

11 comentários:

  1. Que livro mais gracinha! Adoro livros de romance que não sejam melosos, ou com personagens fracos. Esse parece ser uma escolha perfeita!

    Beijos
    Livro de Capa Dura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, acredito que você vai gostar bastante desse livro :D
      Beijos!!!

      Excluir
  2. Apesar de não ter muitos livros assim eu gosto, e mesmo pela capa ser misteriosa o titulo já dá um jeito de chamar a atenção do leitor. Acho que a editora não errou ao escolher o livro kkkkk.

    ResponderExcluir
  3. Jana!
    Já li um outro livro da autora e gostei.
    Acredito que se conseguir ler esse também irei gostar, porque gosto dos livros que nos fazem repensar algumas atitudes, sem contar que amo romances e personagens fortes.

    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei mas do outro do que desse, Rudy, não que esse também não seja bom :D
      Depois me conte o que achou.
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Olá.
    A premissa do livro é bem convidativa, parece um romance leve e com uma mensagem bonita. Se tiver oportunidade, vou conferir. Sua resenha está ótima! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Márcia :D
      Espero que você goste.
      Beijos!!!

      Excluir
  5. Olá Janaina, esse livro da editora mais uma vez me encantando cada dia mais,e ainda por cima romance um mais diferente que não copia muita coisa de outros livros, muito legal!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem legal mesmo. Essa autora consegue ter ideias bem originais :D
      Beijos!!!

      Excluir
  6. Esse livro já está na minha lista de leitura faz tempo, parece super emocionante e essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir