Sway

| 30 outubro 2016 |


Sway é o nome como todos conhecem Jesse. O que você precisar, ele pode conseguir. Seja bebidas para uma festa cheia de adolescentes, ou todas as informações necessárias para conquistar a garota de seus sonhos. Tudo em sua vida gira em torno de dinheiro ou favores que ele pode cobrar. Até que um de seus “trabalhos” acaba balançando o seu coração, um coração que até ele mesmo achava que não mais existia.

Tendo perdido a mãe muito cedo e com um pai totalmente relapso, Jesse teve que aprender a se virar por conta própria, por mais que isso não o tenha levado exatamente por caminhos lícitos. Quando Bridget aparece em sua vida, todas as suas perspectivas começam a mudar. Ela era linda, mas não usava isso como uma arma para conseguir o que quisesse. Ela era a melhor pessoa que ele já tinha conhecido. Sempre pronta com um sorriso, para ajudar quem necessitasse, colocando as necessidades de qualquer um a frente das próprias. Alguém tão incrível e encantador, só poderia conquistar um coração tão marcado pelo sofrimento.

É muito interessante como certos autores conseguem nos envolver de tal forma em suas histórias que acabamos esquecendo muitos de nossos princípios. O protagonista, Jesse, é cativante e envolvente. Quando ele se apaixona, sua vida muda, ele começa a ser alguém que começa a correr atrás da felicidade da pessoa amada, mesmo que ela não faça ideia do que ele está fazendo. Um personagem fiel aos seus amigos, porém, isso não apaga o fato que ele é um criminoso.

Em qualquer outra situação, torceríamos para que ele fosse preso. Alguém que é um traficante de drogas, contrata pessoas para intimidar (ou espancar) alguém que esteja em seu caminho, lida com pessoas da pior espécie, não é alguém que torceríamos para um final feliz. Isso é o que faz o livro ser tão bom, tão interessante. O poder que a autora, Kat Spears, tem de manipular o seu leitor. Criar um personagem tão apaixonante que, mesmo com todos os seus erros, é totalmente impossível torcer para que a justiça seja feita, para que o seu final seja outra coisa, senão feliz.

Em contrapartida, Bridget tem o seu lugar mais do que garantido no céu. Ela é uma pessoa fantástica, que parece dedicar cada minuto de seu dia para ajudar a quem precisa, mesmo que a pessoa não queira sua ajuda. Ela não sente raiva de nada, nem de ninguém, consegue perdoar (quase) tudo o que acontece em sua vida, nunca se zanga ou está brava, parece ser perfeita em todos os sentidos. Um contraste gritante com o protagonista, que foi pago para descobrir o máximo possível sobre ela, para que outro homem conseguisse conquista-la. Mas, tamanha perfeição deixa sua marca por onde passa, e pode mudar mesmo aquele que não tem mais esperanças de encontrar a verdadeira felicidade.

“Sway”, apesar de tratar de temas pesados como tráfico de drogas e violência, é um livro leve, gostoso de se ler. A autora soube realmente como construir um personagem que teria tudo para ser o vilão, mas que nos faz torcer a cada momento que ele mude de vida e possa encontrar a verdadeira felicidade. Só fiquei muito triste quando terminou, gostaria muito de ter algumas informações a mais sobre o seu futuro.

4 comentários:

  1. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser super envolvente.

    ResponderExcluir
  2. Amos livros desse gênero acho que não custa nada conhecer a historia achei a resenha realmente incrivel!!!

    ResponderExcluir