O Bebê de Andretti

| 08 junho 2017 |
Nicolas é um solteiro convicto, de uma família tradicional italiana e herdeiro de uma grande empresa. Seu pai, um homem que acreditava no poder da família na vida de alguém, sonhava ver o filho casado e com uma grande família, mas o seu filho via isso de outra forma. Para ele, ter uma esposa era ser dominado constantemente por alguém, algo que jamais permitiria. Ele era o único senhor de sua vida, porém, a empresa de sua família era muito importante para Nicolas. Quando seu pai lhe dá um ultimato, e ameaça passar para o primo tudo pelo qual ele lutou nos últimos anos, ele decide que pode amansar um pouco o pai, não com uma família completa, mas pelo menos parte dela.

O herdeiro da família Andretti resolve ter um filho, isso resolveria toda a sua situação, mas ele jamais admitiria estar ligado a alguém, dessa forma, portanto uma barriga de aluguel seria a melhor solução para o seu problema. Gabrielle, alguém com quem ele tinha algo próximo a uma amizade, apesar do relacionamento deles na cama ir muito além disso, é a pessoa perfeita para o papel. Com grandes ambições de se tornar uma arquiteta renomada, mas sem dinheiro para estudar onde ela tanto sonhou, Nicolas lhe propõe o dinheiro para os seus estudos, fora do país, se ela estivesse disposta a ter um filho com ele e ir embora depois disso. Apesar de aceitar os termos, Gabrielle, mesmo no começo da gravidez, não consegue imaginar a vida sem seu filho, e sente algo muito especial pelo pai da criança. Ela jamais conseguiria abandonar os dois, mas do seu filho ela não abriria mão, mesmo que tivesse que fugir para mantê-lo ao seu lado.

A autora, Mayjo, realmente conseguiu criar dois protagonistas que fazem com que você grude nas páginas e não consiga mais largá-las. É impossível não se apaixonar por esses homens durões, teoricamente autossuficientes, que não querem relacionamentos, amolecendo, descobrindo o amor, renegando o sentimento, mas dando o braço a torcer quando percebem que podem perder seu bem mais precioso, no caso desse livro, bens mais preciosos.

Gabrielle é uma jovem que sonha com sua carreira, em ser alguém de sucesso. Não pensa em um compromisso imediato e está feliz com a forma com que ela se relaciona com Nicolas. Quando ele lhe propõe terem um filho, para deixar feliz o pai que está muito doente, quase morrendo, ela não consegue dizer não, principalmente por já ter sentimentos muito fortes por Nicolas. Apesar de ela achar que será fácil ir embora, afinal de contas, ela nunca realmente sonhou em ser mãe, e ela teria sua tão sonhada carreira, quando chegou a hora, Gabrielle percebe que aquele ser crescendo dentro de si era o bem mais precioso que poderia ter, e que iria defendê-lo para mantê-lo ao seu lado com todas as suas forças.

Amei cada parte dessa história. Nicolas começa como o dominador, aquele que tem todas as cartas, que controla cada pedaço de sua vida, mas é atropelado por um turbilhão de sentimentos, tanto por seu filho que nasceria, quanto pela mãe.

Foi incrível acompanhar a mudança que o personagem sofreu. Desde ver o amor como algo prejudicial, que só o faria ser dominado por alguém, até entender que aquele sentimento, que aceitar realmente aqueles dois seres no seu dia a dia, só somaria algo fantástico a sua vida já tão bem-sucedida.

Uma obra formada por cenas quentes muito bem escritas, momentos hilários, alguns momentos tristes ou tensos e muito romance, daqueles de arrancar suspiros, em uma combinação perfeita.

"O Bebê de Andretti" me encantou desde a sinopse, nem preciso dizer que amei da primeira à última página. Os personagens são incríveis e o tema encantador. Amo histórias de família, aceitação, mudanças de personalidade e quando os personagens reconhecem que não precisam viver com aquilo que sempre acreditaram, mas com aquilo que realmente os fará felizes. 

Um comentário:

  1. Só de ver na capa do livro, esse bebezinho lindo, dá vontade de ler o livro.
    Parece ser uma historia até previsível, mas com um romance muito bom!
    Gosto de tramas onde os personagens evoluem positivamente. :)

    Boa dica!

    ResponderExcluir