Dumplin’

| 13 agosto 2017 |
É complicado viver em uma pequena cidade onde o concurso Miss Jovem Flor do Texas é o grande ápice do ano inteiro, como se todos vivessem por aquele momento, sua mãe sendo responsável pelo concurso, e uma antiga vencedora, quando o seu próprio corpo não representa exatamente o de uma Miss. Quando um garoto lindo entra em cena, as coisas só tendem a piorar.

Willowdean está muito acima do peso que é considerado esteticamente bonito para a nossa sociedade. Apesar disso, ela vive bem com ela mesma, e com o seu corpo, até um certo garoto começar a prestar atenção nela. Bo, seu colega de trabalho, por muitos meses foi sua paixão secreta. Ele era lindo, todas as garotas queriam estar com ele, mas, por um motivo que Will não entendia, ele parecia muito interessado nela. Depois do primeiro beijo, tudo o que nunca a incomodou em seu corpo começou a fazê-la se questionar quando Bo iria reparar em todas as suas imperfeições, a deixando completamente insegura. Devido a esse momento, por conta de sua insegurança e para querer se provar, mesmo contrariando qualquer histórico do concurso, Will resolve se participar do Miss Jovem Flor do Texas e talvez encontrar as respostas que tanto a afligiam, ou mostrar para todos que ela podia ser tão especial quanto qualquer garota com um manequim “perfeito”.

Esse livro é muito mais real do que qualquer romance adolescente que estamos acostumados a ler ultimamente. A autora, Julie Murphy, não criou uma personagem linda que se sente tão insegura que só consegue ver os seus defeitos. Ela criou uma personagem que pode ser qualquer leitora que segurar esse livro nas mãos para começar a ler. Qualquer uma de nós que não é realmente perfeita, seja pelas nossas gordurinhas a mais, altura, algum problema de nascença, olheiras, espinhas... ela criou uma personagem que não é perfeita para os padrões da sociedade, e que não precisa mudar para agradar alguém, muito menos a si mesma.

A protagonista sempre se sentiu segura e feliz com ela mesma, até Bo finalmente prestar atenção nela e deixar claro que queria algo a mais, além deles serem colegas de trabalho. Ele era lindo, uma cara que poderia ter qualquer garota que quisesse, por isso ela não entendia como ele poderia tocá-la, sentir sua barriga saliente, os culotes em suas costas e não sair correndo.

Estamos tão acostumados a ler livros com romances entre estudantes em que ambos são lindos, por mais que a protagonista se recuse a aceitar tal fato, que é incrível encontrar uma obra onde a autora trabalhe realmente com aquilo que a pessoa é por dentro. A personagem principal está longe de qualquer padrão estético de beleza, sempre sofre bullying por isso e resolve participar de um concurso onde ela seria completamente repudiada. Esse livro vai muito além do romance, ela fala sobre preconceitos, sobre aceitar o outro como ele é e, principalmente, sobre aceitar você mesmo.

A capa é perfeita. Simples, mas consegue representar exatamente do que se trata a narrativa. As fotos da autora na última orelha são encantadoras, demonstrando o quanto a autora se inspirou em si mesma para criar uma personagem que, mesmo não sendo esteticamente perfeita, pode ser alguém muito feliz.

“Dumplin’” é uma obra que faz com que nós, pessoas reais, com defeitos e imperfeições, realmente possamos nos identificar com alguém que está encontrando o seu lugar no mundo, exatamente como ela é. Seja no amor, em um concurso ou na escola, todos tem o seu lugar de direito, todos merecem ser respeitados e temos que lutar por isso.

Visite o site da Editora Valentina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário