Feiticeira de Cetim

| 29 setembro 2017 |
Kaylla era uma cigana e, apesar de não viver mais entre os seus, apenas com seu pai, ainda não era alguém bem vista pela sociedade. O Duque de Nortfolk tinha horror a aquela gente, e jamais imaginaria se relacionar com qualquer um deles, até que sua irmã caçula, que conseguia absolutamente qualquer coisa que quisesse de qualquer membro da família, decide ter uma dama de companhia e escolhe justamente a cigana para colocar dentro de sua casa.

Nada poderia ser pior do que aquilo, apenas se o Duque, Adrien, começasse a ter pela cigana sentimentos bem distantes da repulsa e indignação. Quando tudo o que ele deseja é estar próximo a Kaylla, tocá-la e protegê-la, todos os seus preconceitos começam a ruir e o Duque começa a ver aquele povo, e uma cigana muito especial, com outros olhos.

A última coisa que um Duque poderia fazer era ter um relacionamento com uma cigana, e Adrian não iria querer comprometer a chances de a irmã caçula conseguir um bom casamento por conta de um escândalo. A autora, Rubanne Damas, não mediu esforços em nos torturar por essa razão. As atitudes de Adrien são perfeitamente compreensíveis, porém a autora é capaz de narrar com simplicidade, mas intensamente, todo o desejo que brota entre ambos, nos fazendo sofrer a cada página, até que finalmente eles resolvam se entregar a aqueles sentimentos.

Apesar disso, não precisamos esperar até o último momento para que isso aconteça, o que é um grande bônus em livros desse gênero, portanto, foi necessário criar um outro tipo de conflito para manter a história viva até o final, e devo dizer que a autora foi muito bem-sucedida.

Kaylla havia visto todos os seus amigos e sua mãe serem mortos por um caçador de ciganos, que achava que ela também estava morta. Quando o Cão Negro aparece próximo as terras de Adrien, todo o pesadelo que ela viveu volta para a sua vida, e ela tem medo de sentir novamente toda a dor daquela época. Porém, dessa vez ela tinha alguém poderoso ao seu lado, que a amava, que faria de tudo para ver a sua mulher bem, feliz e em segurança.

“Feiticeira de Cetim” é um livro fantástico. Amei cada página. A protagonista é alguém que ama as suas raízes e está disposta a mostrar que os ciganos são pessoas de bem. Adrien é um homem frio, que sofreu em seu passado pelo abandono, mas que não mede esforços para cuidar daqueles que lhes são preciosos. A combinação de duas personalidades tão distintas só poderia resultar em uma narrativa forte, quente e apaixonante.

3 comentários:

  1. Histórias que superam todos os preconceitos por um amor verdadeiro,sempre são especiais.
    E gostei muito da dica que nos deu Jana! 😊
    Quando leio livros assim,me fazem acreditar que ainda exista amores verdadeiros. ❤

    Fico imaginando quantos percalços os personagens enfrentarão para ficar juntos. Alguém da nobreza,com uma cigana nessa época, era um verdadeiro escândalo.
    Será como a autora resolverá essa situação?

    Gostei! 😉

    ResponderExcluir
  2. Oi Jana! Nossa, amo a cultura cigana e curto muito romance de época, como é que eu não sabia desse livro, preciso dele pra ontem, que história maravilhosa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Jana!
    Adoro quano os livros trazem a cultura cigana, acho muito rica, apesar de ser bem discriminada.
    Ver um romance de época com uma protagonista cigana é fascinante, adorei!
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir