Procura-se Um Marido

| 15 setembro 2017 |
Alicia nunca foi uma neta exemplar. Já foi presa algumas vezes, passava várias noites fora de casa, não levava seu trabalho muito a sério, nem se interessava pelas empresas da família. Não parecia pensar em seu futuro. Mesmo assim, ela jamais imaginaria que seu avô colocasse uma clausura tão absurda em seu testamento. Alicia só poderia tomar posse de tudo o que era seu se ela arranjasse um marido.

Acabei de chegar à conclusão de que Carina Rissi não tem a habilidade de escrever nada ruim. Temos aqui mais um exemplo de um livro maravilhoso, que nos prende a cada página, que nos faz rir, chorar e nos apaixonar perdidamente por mais um casal muito especial.

Após a morte do avô, Alicia se vê sem nada, apesar de ser a única herdeira de um dos homens mais ricos do país. Em testamento, seu avô lhe deixou um emprego vitalício em suas empresas (com um salário ridículo, segundo ela) e com uma clausula que dizia que ela só herdaria todos os seus bens após um ano de casamento. Para alguém que sempre foi contra essa imposição da sociedade, que achou que jamais se casaria, aquele era o fim do mundo. Porém, talvez ela pudesse encontrar alguém que não estivesse interessado em amor, apenas em um acordo puramente comercial.

Max tinha um cargo importante na empresa do avô de Alicia, mas se esforçava a cada dia para subir mais em sua carreira. Ele conhecia o dono da empresa e sabia como ele era apegado às tradições, consequentemente, via com bons olhos homens casados. Um casamento também ajudaria com que todos os esforços de Max fossem reconhecidos e tudo aquilo entre eles poderia ser puramente profissional. Será?

Alicia e Max vivendo sob o mesmo teto foi algo maravilhoso de se ler. Duas personalidades completamente diferentes tendo que conviver e se entender, sem terem realmente escolhido com quem dividiriam uma vida, ou, pelo menos, um ano dela. Enquanto Max era alguém organizado, que perseguia os seus objetivos, que se dedicava integralmente ao seu trabalho, Alicia sempre foi alguém que esbanjou dinheiro, nunca precisou lidar sozinha com os seus problemas e não se importava com as confusões que deixava em seu caminho ou com quem se machucaria por conta das suas escolhas.

A convivência forçada, e a falta de dinheiro, no caso de Alicia, fez com que ambos amadurecessem e mudassem a forma de ver a vida. Max se tornou alguém mais amoroso e gentil, um amigo de verdade para alguém que não tinha mais ninguém no mundo, que estava vivendo o pior momento de sua vida. Alicia percebeu que não tinha metas ou sonhos, apenas vivia o momento, da forma que fosse mais desastrosa possível.

A protagonista encontrou em Max alguém para se espelhar, se ela quisesse ser alguém melhor. Alguém para admirar. Alguém para amar. Talvez ser casada não fosse tão ruim assim, mas ninguém poderia descobrir que o casamento não passava de fachada, pois Alicia perderia sua herança, e Max tudo o que ele havia conquistado em sua carreira.

Mas, e se toda essa amizade e companheirismo se transformasse em algo mais? Isso a autora sabe escrever como ninguém. “Procura-se Um Marido” vai te fazer rir muito enquanto você se apaixona por Alicia e Max, enquanto eles se apaixonam e seus mundos viram de cabeça para o ar. Não deixe de ler!

3 comentários:

  1. Nossa,já faz um bom tempo que tenho muita vontade de ler esse livro.
    Parece ser um livro bem romântico! ❤
    Me lembrou muito desses filmes leves e fofos da Sessão da Tarde,onde duas pessoas totalmente diferentes,precisam aprender a respeitar um ao outro e conviver mesmo achando que sem querer.Mas com vários atritos...
    E com isso,o amor vai chegando aos pouquinhos.

    Infelizmente ainda não li os livros da Carina Rissi,mas pelos muitos elogios que leio,a curiosidade só aumenta. :)

    Ótima dica Jana!

    ResponderExcluir
  2. Jana!
    Infelizmente nunca li nada da Carini, mas tenho dois livros dela aqui para leitura e espero fazê-la em breve.
    Alícia deve ser uma daquelas protagonistas hilária e bem doidinha e gostei de ver que o avô teve essa percepção e só deixará a herança caso ela trabalhe na empresa e fique casada por um ano, pelo visto, isso colocou um pouco de juízo na cabecinha de vento dela…
    Adorei!
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Jana!
    Ainda não li nenhum livro da Carina Rissi mas tenho Procura-se um marido faz um tempão e desse ano ele não passa - espero rsrs.
    Amo tramas sobre casamento de conveniência, mas pelos seus comentários acredito que não irei simpatizar pela a Alicia no começo da história, não gosto de personagens irresponsáveis, que não se importam com quem machuca por conta das suas escolhas, mas que bom que ela amadurece no decorrer da história.

    ResponderExcluir