Duff

| 14 novembro 2017 |


Autora: Kody Keplinger
Editora: Globo Alt
Páginas: 323
Gênero: Ficção juvenil americana

Sinopse: Em um grupo de amigas, a DUFF - sigla para Designated Ugly Fat Friend - é aquela que não se destaca, a menos atraente da turma. Ela não se enquadra nos padrões de beleza tradicionais, ou se preocupa menos com o visual, mas nem por isso deixa de ter seus encantos. Bianca Piper é esse tipo de garota. E estava muito bem, até que Wesley Rush, o pegador da escola, veio puxar conversa dizendo que ser legal com a DUFF o ajudaria a se dar bem com suas amigas Casey e Jessica. A partir de então, Bianca começa a se questionar: ela seria a amiga feia? As vantagens e as desvantagens de ser uma DUFF, o que leva alguém a pensar que é uma e outras dúvidas começam a ocupar os pensamentos de Bianca e só não dominam sua cabeça porque ela tem problemas maiores. O casamento de seus pais não vai bem e no dia em que ela descobre que eles estão se divorciando, decide sair com suas amigas para esquecer. Enquanto Casey e Jess se divertem, Bianca encontra Wesley e, num impulso, o beija. Os dois começam uma espécie de inimizade colorida. Bianca acha Wesley um galinha, que se aproveita da beleza e do dinheiro para ficar com o maior número de meninas possível, mas, no fundo, sente-se atraída por ele. Wesley é um cara amigável e não perde uma oportunidade de ficar com ela, ainda que continue chamando Bianca de DUFF. Com a convivência, os dois descobrem que as aparências enganam. Bianca Piper é uma protagonista independente, boa aluna, cínica e descolada. Com senso de humor e diálogos afiados, Kody Keplinger criou um romance sobre a amizade e o amor próprio, que aborda com leveza questões como a competição entre as meninas e a importância dada às aparências. Ao enfrentar seus problemas, Bianca amadurece e descobre que os rótulos que colocamos uns nos outros são armadilhas muito perigosas.

Indicado para quem gosta das obras:
- Boston Boys, de Giulia Paim
- Dumplin ‘, de Julie Murphy
- Entrelinhas, de Tammara Webber
- Para todos os garotos que já amei, de Jenny Han

Frases marcantes:

“Eu, na verdade, preciso de ajuda. Olha, suas amigas são gatas. E você, querida, é uma Duff.” Página 12

“Eu beijei Wesley Rush.” Página 42

“Estranhamente, não estava tão estressada quanto esperava. Detestava admitir, mas precisava mesmo agradecer a Wesley por isso.” Página 94

“Eu só queria o corpo dele. Sem compromisso. Sem sentimentos. Eu só queria o barato. Aquilo me tornava uma viciada e uma vadia?” Página 114

“Ele nunca tinha me beijado daquele jeito suave e sem desespero, e aquilo meio que me assustou.” Página 167

4 comentários:

  1. Excelente dica pra quem curti uma leitura voltada para o público juvenil, esses dramas nessa fase da vida são mega complicados de lidar por todos.

    ResponderExcluir
  2. Jana!
    Não sei se no momento leria, ando enjoada desse tipo de leitura.
    De qualquer forma, anotei aqui, quem sabe mais para frente, né?
    Valeu a dica!
    Desejo uma semana carregadinho de luz e paz!
    “ Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Ah vi só o filme e gostei. Se um dia tiver oportunidade de ler o livro vou ler sim.
    Beijão da May :)
    Minha Pequena Coleção

    ResponderExcluir
  4. Jana,já assisti o filme e gostei. Pois achei a história leve ,o que me divertiu.
    E com toda certeza adoraria ler o livro.Para descontrair é ótimo! 😊

    Bjs.

    ResponderExcluir