A Garota Alemã

| 18 março 2018 |

Alguns livros trazem narrativas tocantes e marcantes. Histórias fictícias que contam de forma desnuda fatos vergonhosos e cruéis da história da humanidade. Esse é um desses livros.

Hannah vivia uma vida maravilhosa e confortável com seus pais na Alemanha, mas sua família, apesar de terem muitas posses, eram considerados impuros.  Fugir era a única solução, por mais que uma menina de doze anos não entendesse como poderia ser tão odiada em seu próprio lar.

Muitos anos depois, conhecemos Anna, uma criança que perdera o pai antes de sequer nascer e vivia com uma mãe em estado de pertinente sofrimento.  Quando elas recebem uma carta de Hannah, a tia que havia criado seu pai, elas partem para Cuba, onde conheceriam a única parente viva do pai de Anna e o passado cruel que ela ainda guardava em suas lembranças.

Histórias que narram os acontecimentos daqueles que viveram a crueldade, desespero e horrores da Alemanha nazista são sempre difíceis de se ler. A tristeza que se enrosca em nossos corações durante a leitura não é algo fácil de se esquecer.

Hannah deixou a Alemanha em um navio que realmente existiu, e onde a esperança da maioria dos passageiros que estavam ali ficou eternamente no oceano.  Uma quantidade ilusória de passageiros recebeu a autorização para desembarcar. Hannah desceu com sua mãe grávida, mas seu pai e seu melhor amigo, Léo, não foram agraciados com essa chance.

Uma cena de cortar o coração. Uma família sendo destruída pelos ideais deturpados de homens cruéis e políticos que não se importavam com o destino daqueles que pediam por auxílio.

Esse livro narra a história de uma personagem que carregou durante toda a sua vida a infelicidade é desesperança que ela viveu na infância.  Nossa esperança é Anna, uma criança que ainda tem todo o futuro pela frente, grandes oportunidades e, apesar de conhecer o passado de sua família, teria a oportunidade de escrever o seu próprio destino.

"A Garota Alemã" é um livro que vai te levar as lágrimas, pela história em si e pela realidade daqueles que tiveram suas vidas destruídas.  O autor, Armando Lucas Correa, sabe como usar as palavras para nos emocionar e soube exatamente como criar duas personagens que nos trouxessem dor e esperança. Uma obra espetacular!

2 comentários:

  1. Livros que retratam um passado real tão cruel e sombrio, sempre nos tocam de forma bem dolorosa.
    Assim como esse te tocou.
    Histórias como essas são importantes para as gerações futuras ,jamais esqueceremos os horrores de uma época.

    Gostei,e fiquei curiosa em conhecer cada um dos personagens! :)

    ResponderExcluir