O Assassino do Zodíaco

| 29 abril 2018 |

Um homem assassinado e uma testemunha desaparecida. Um detetive encarregado de desvendar um grande mistério e uma astróloga para ajudá-lo com suas teorias. Um pai que nunca conheceu a filha, mas vai lutar por justiça. Um garoto que cresceu em meio as ruas, vivendo de forma criminosa, com uma única chance de mudar de vida. Pessoas completamente diferentes, mas com algo em comum: são todos guiados pelos signos com os quais eles nasceram.

Uma sociedade onde o momento de seu nascimento rege quem você deve ser, como deve agir e com quem deve conviver. É esperado de cada pessoa que ela aja de acordo com o seu signo. Se uma criança nasce com um regente diferente de seus pais, ela pode nunca mais se encaixar em lugar algum, seja com a família, ou com o seu próprio signo.

Em meio a essa atmosfera distópica, o leitor é convidado a embarcar em um mistério policial muito bem elaborado. Quando uma série de assassinatos começam a ocorrer, com indícios de que as vítimas estejam ligadas de alguma forma, o detetive Burton entra em cena, para tentar solucionar esse mistério.

O autor, Sam Wilson, usa a distopia apenas como pano de fundo para um romance policial repleto de mistérios, assassinatos e desejo de vingança. Apesar da mudança da sociedade em si não ser o enredo da obra, conhecemos um sistema muito desigual, onde a pessoa nasce, cresce e morre de acordo com sua data de nascimento, sem oportunidades de mudar de vida. Muitas das questões narradas aqui surgem exatamente do fato de algumas pessoas não se encaixam onde deviam e são submetidas a processos cruéis para “corrigir” essas imperfeições.

É interessante como o autor cria duas narrativas “aparentemente” distintas, que durante grande parte da obra seguem por caminhos tão opostos que é quase impossível que eles se alinhem em algum momento. Enquanto o detetive Burton e a astróloga Lindi tentam desvendar os assassinatos, também conhecemos Daniel, um homem muito rico e importante, mas com nenhum sentido em sua vida, até ele descobrir que tem uma filha. A busca por essa filha o faz encontrar Cray, um garoto que vivia nas ruas e que se tornaria o seu braço direito, alguém que faria tudo para que Daniel alcançasse seus objetivos.

Quando essas duas histórias finalmente se cruzam é algo surreal. Foi um choque perceber tudo o que o autor criou para nos levar a aquele momento. Como fomos enganados durante tantas páginas, apesar da verdade estar estampada bem a nossa frente.

“O Assassino do Zodíaco” é um livro perfeito para os fãs de livros policiais, envolvendo muito mistério, mortes e com o bônus de uma excelente distopia para unir todas as pontas dessa narrativa.

3 comentários:

  1. Esse livro possui uma junção de tudo que mais gosto em um livro.
    É um romance policial, há um mistério em torno de toda a história,e o mais importante pelo que nos contou, é que somos enganados completamente pelo autor.
    Gosto de finais surpreendentes.
    Sem contar que gostei que a trama gira em torno dos signos dos personagens.

    Boa dica!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gosto de livros nesse estilo, daqueles que só dá vontade de largar assim que termina a leitura!! A história parece conseguir os leitores, como eu, que gostam de uma boa trama, cheias de mistérios, tensões e uma boa dose de suspense!!

    ResponderExcluir
  3. Olá Jana! Estou doida pra ler esse livro, curto muito distopia, policial, mistério, astrologia, essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história que parece bem emocionante, eletrizante e envolvente.
    Bjs

    ResponderExcluir