Princesa de Papel

| 26 janeiro 2019 |

Autora: Erin Watt
Editora: Essência
Adquira o seu exemplar: Amazon

A realeza aqui não é no sentido literal da palavra, mas essa obra pode ser considerada um conto de fadas. Muito menos inocente do que histórias de príncipes e princesas, com muito mais arrogância, sensualidade, brigas e protagonistas, mas com atitudes altamente interessantes.

Ella perdeu a mãe para uma doença e nunca conheceu o pai. Para evitar acabar em um lar adotivo, resolve falsificar as assinaturas da mãe para que ela pudesse frequentar a escola (seu sonho era cursar uma faculdade) e fazia strip tease em clubes noturnos para se sustentar, quando ela é praticamente sequestrada por um amigo de seu pai, dizendo ser o seu tutor legal.

O que a protagonista não esperava é que seu novo "pai" fosse um homem de muitas posses e lhe oferecesse uma quantidade quase obscena de dinheiro para que ela fosse morar com ele e terminasse seus estudos. Porém, a parte mais terrível, e incrível, de morar com Callum Royal era conviver com seus cinco filhos, que pareciam detestá-la, principalmente Reed, um garoto arrogante e cruel, mas por quem Ella não conseguia evitar de se sentir atraída.

Que livro incrível! Que romance quente e estarrecedor!

Eu imaginava algo completamente diferente ao começar a ler essa obra, pensei em um livro de época, príncipes e princesas de verdade, não uma história sobre jovens, que mandavam na escola (e fora dela) por virem de famílias muito ricas e influentes, e uma jovem que se vê obrigada a morar com eles e enfrentar o seu descontentamento.

Impossível começar a ler esse livro e não pensar em doramas (novelas orientais). Quem ama doramas vai, assim como eu, entender o meu encantamento pela narrativa e os motivos dela ter me prendido logo nas primeiras páginas.

A autora criou uma mocinha que vivia sozinha, praticamente contando cada centavo e tirava a roupa para conseguir pagar suas contas. Ela não é uma clássica mocinha inocente, apesar de manter sua castidade, mais por falta de tempo do que qualquer outro motivo. Sua relação com os irmãos Royal não é nada submissa, ela os enfrenta como iguais, apesar de virem de mundos completamente diferentes.

Essa obra exprime muito bem o quanto o dinheiro não é tudo na vida de uma pessoa. Uma família que ficou completamente desestruturada após a morte da mãe. Um pai totalmente ausente e filhos que usam bebidas, apostas, sexo e o poder para tentar suplantar a falta de um ambiente familiar saudável.

A chegada de Ella serve, a princípio, para agravar essa situação, mas com o tempo, ela consegue amolecer os corações daqueles garotos carentes e finalmente começar a fazer parte daquela família tão desajustada.

Reed é o irmão que mais amolece o seu coração, e quem também esconde algum segredo muito grave sobre sua família. Mesmo na sua prepotência, seus cuidados com Ella não passam despercebidos. Sua mudança de comportamento é tão incrível quanto toda a história em si.

"Princesa de Papel" me surpreendeu de formas únicas. Terminei o livro completamente sem chão por ainda não ter a continuação em mãos, mas tenho certeza que conheci personagens e embarquei em uma história que vai entrar para a minha lista de favoritas.

5 comentários:

  1. Olá Jana,a capa do livro nos dá a impressão mesmo que se trata de um livro com príncipes e princesas.
    Mas ao ler a resenha,vejo que é uma história bem mais fascinante!

    Faz um tempo que pretendo ler esse livro,e todas as vezes que leio mais sobre a história, minha vontade só aumenta.

    O que posso dizer ,é que simplesmente adorei os personagens e pode crer que ainda vou ler. :)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Jana
    Ainda não conhecia o livro, pela capa dá impressão que se trata de um romance de época ou com príncipes, reis e tal. Mas não tem nada haver.
    Gostei da sinopse e lendo sua resenha me interessei pelo livro, com personagens que tem problemas como pessoas reais, dramas familiares.
    Espero poder ler, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu li o primeiro livro nessa série eu fiquei muito apaixonada pela história que a autora conseguiu desenvolver mas eu acho que a narrativa caiu muito com as sequências de livros a ponto que eu estou pensando seriamente se leio ou não o último livro

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia esse livro, e também pensei que se tratava de uma história de época ou medieval, com rainhas e reis...
    Já ouvi falar muito bem dos doramas, mas nunca assisti pelo menos um.
    A história parece ser bacana e me interessei pelo enredo

    ResponderExcluir
  5. Jana!
    Uma pena ver uma trama tão boa, ser reduzida a uma opinião vulgar da autora, digo isso porque ela banalizou temas importantes e tornou a protagonista uma 'dependente' do tal do Reed.
    Ainda assim, tenho curiosidade em fazer a leitura, porque acredito que é uma oportunidade que temos de discutir vários assuntos relevantes.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir