Comic Con Experience 2017

| 11 dezembro 2017 | Nenhum comentário:
Estar em uma Comic Con é como viver dias de sonhos. Ficar horas e horas em uma fila para entrar em um auditório parece loucura? Bom, é exatamente isso. A loucura de centenas de fãs que buscam incansavelmente verem os seus ídolos, conferirem cenas exclusivas, entrevistas épicas e revelações em primeira mão.

A Spoiler Night foi uma prévia curta de um mundo que eu esperei meses para finalmente voltar. Pisar no São Paulo Expo e ver aqueles estandes, cosplayers, imagens dos meus filmes e séries favoritos, tudo o que eu amo me enchendo os olhos. Você não sabe nem por onde começar. Passou tão rápido que foi como entrar e já ver a noite chegar ao seu fim.





Quinta e sexta-feira sofri de longe, acompanhando através das redes sociais a felicidade e as novidades de quem pôde estar presente durante a semana no evento. Fiquei triste por não estar presente, mas existe uma sensação estranha de satisfação naqueles dias, apenas por saber que a Comic Con está acontecendo.

Finalmente chegou o final de semana, e com ele o meu retorno para esse universo mágico, e não estou falando apenas na loja oficial de Harry Potter. O sábado começou com muita felicidade seguido pela tristeza. Cheguei cedo ao evento, mas não o suficiente. Saber que a fila do Auditório Cinemark já estava lotada, em um dia em que teríamos painéis de Star Wars, Marvel, Sony e Netflix partiu meu coração completamente. Mas, parte de ser fã é nunca desistir.






Após quase quatro horas na fila, aguardando a abertura oficial do evento, corri desesperadamente para a fila do auditório. Mesmo com um staff logo na entrada, deixando bem claro que aquela era apenas a fila de espera, que o auditório estava cheio, minhas esperanças permaneceram firmes.

Algumas pessoas deixaram o auditório após a pré-estreia da Disney, mas não o suficiente. Meu coração de fã sangrou na fila ao ouvir os gritos empolgados, histéricos, arrebatadores dos madrugadores que conseguiram seu lugar nesse momento épico. Podíamos ouvir, além dos gritos, músicas de Star Wars ou Os Vingadores, o que denunciava o que podia estar sendo exibido na tela.

Passados os painéis de Star Wars e Marvel, e com mais quase três horas de fila do lado de dentro do evento, finalmente chegou a nossa vez de desfrutar dessa experiência épica. A Sony e a Netflix fizeram valer a pena cada segundo que ficamos na fila aguardando por esse momento.








Meus gritos talvez não fossem altos o suficiente (por mais que minha garganta hoje discorde) para colocar para fora tudo o que eu estava sentindo. Artistas no palco, mensagens especiais apenas para quem estava presente naquele momento, bandeiras gigantes, surpresas incríveis. Poderia ser mais épico?

O domingo logo chegou e meu dia começou ainda mais cedo, sendo recompensado com uma pulseira que brilhava no pulso de cada um dizendo que você teria direito a entrar no lugar mais incrível do planeta.

Ver o painel da Warner Bros era a minha maior meta daquele dia, e nada me fez tão feliz quanto conferir tantas novidades exclusivas de um estúdio que eu amo tanto. Até lacrar o celular no painel foi genial, pois nunca antes pude trocar o lacre do meu celular por um pôster incrível da Liga da Justiça.







Porém, a vida é feita de escolhas. Eu queria ver a feira e ver o painel da Netflix. Como os vira-tempos estão em falta, escolhi ver a feira. Tantos estandes fantásticos, brindes surreais, pessoas que realmente se jogam naquele mundo, também é algo épico. Fiquei triste por não ver Will Smith de perto, até minha surpresa de ver uma multidão correndo em direção ao estande da Netflix, seguir aquele mar de celulares levantados e poder ver um ator tão carismático e querido a poucos metros de onde estava.





A Comic Con Experience não é um evento. Não é um lugar repleto de estandes. Não é um auditório com uma tela grande. A Comic Con Experience é a vida que nós sonhamos todos os dias. É a felicidade estampada em cada olhar. É a realização dos nossos maiores sonhos em quatro dias cada vez mais inesquecíveis.

É um evento caro? Sim, é um evento caro, mas realizar sonhos não tem preço!






Leia Mais

Um Mais Um

| 05 dezembro 2017 | 2 comentários:
Uma mulher, seus dois filhos e o cachorro da família, pegando carona com um homem quase estranho, para que a filha pudesse participar de uma olímpiada de matemática. Vidas que iriam mudar completamente depois daquela viagem em uma história mais que encantadora.

Uma narrativa pode ser singela e excepcional ao mesmo tempo. “Um Mais Um” é a prova disso. Jojo Moyes mais uma vez criou personagens e uma trama que nos puxa pela mão, entra em nossos corações em páginas marcantes.

A protagonista, Jess, é uma mulher que cuida sozinha dos dois filhos, pois o ex-marido estava desempregado e doente, ou pelo menos era o que ela achava. Ela passava o dia de casa em casa, fazendo faxina e a noite trabalhava como atendente em um bar e, mesmo assim, as contas do mês não fechavam. Ela tentava dar o seu melhor para sustenta-los e. apesar de Nicky ser filho de seu marido com outra mulher, ela também o amava, como se fosse seu.

Ed Nicholls era o dono de uma das casas em que Jess fazia faxina eventualmente, mas nunca havia visto o dono daquela casa em particular, até que o mesmo resolve aparecer ali para se esconder. Ed estava sendo acusado de vender informações privilegiadas e seus advogados lhe aconselharam a se afastar por um tempo. Seu pai estava doente e, apesar de precisar visitá-lo, não queria contar para a família que poderia ser preso.

A filha de Jess, Tanzie, é excelente em matemática, e recebe a oportunidade de estudar em uma escola muito prestigiada, com uma bolsa de 90%, porém, Jess não conseguiria arcar com os custos, mesmo eles sendo tão reduzidos. Quando surge a oportunidade de a menina participar de uma olimpíada em que o prêmio cobriria os custos da escola, a mãe corre para viajar com os filhos para o local da prova, porém devido a vários percalços, a família, inclusive o cachorro, acabam pegando carona com o rico Ed Nicholls. Suas vidas, daquele momento em diante, nunca mais seriam as mesmas.

Jess é uma personagem incrível. Uma mulher realmente batalhadora, que sente por não poder dar mais aos filhos e passar mais tempo com ambos. Por serem crianças que não se enquadram exatamente nos padrões de pessoas de sua idade, eles sofrem muito na escola e onde moram. A protagonista literalmente conta os centavos todos os meses e vê na bolsa de sua filha uma oportunidade que ela mesma nunca teve.

Ed não era um homem milionário, mas dinheiro também nunca foi um problema. Em alguns dias de viagem, ele aprendeu mais sobre como o mundo pode ser cruel com quem não tem dinheiro do que em toda a sua vida. Ele admirou aquela mulher que tinha que fazer sanduiches para os filhos, por falta de condições para uma opção melhor durante a viagem, que não reclamava da vida, se mantinha otimista, apesar de todos os percalços e amava seus filhos, e até o seu cachorro fedido, com todas as suas forças.

Nicky e Tanzie são personagens muito especiais para a história. Tanzie sofre preconceito por amar matemática e Nicky por agir de forma diferente que seus colegas, como por usar lápis no olho, por exemplo. A autora enfatizou muito com esses personagens o quanto as pessoas são preconceituosas com quem age diferente da maioria. Como muitas pessoas usam a violência como forma de se impor e atacar aqueles que não seguem exatamente sua opinião.

Até o cachorro da família, que na maior parte do livro não passa de um ser babão e fedorento, tem um papel fundamental e tocante na narrativa. 

“Um Mais Um” é uma obra que mexeu comigo muito mais do que eu poderia imaginar. A autora criou cinco personagens únicos (incluindo o cachorro, é claro), que em uma simples viagem de carro nós conhecemos e aprendemos a amar.
Leia Mais

Insônia

| 01 dezembro 2017 | 2 comentários:
Após a morte dos pais, em um acidente de carro, Suzanna morava com os avôs, onde tinha que conviver com a saudade, além de ouvir vozes misteriosas. Por não conseguir dormir à noite, a estudante sempre pulava o muro e ia até a mansão do vizinho, onde, em frente a uma antiga árvore, se sentia em paz. Isso até a chegada de um parente do casal, um garoto misterioso, que a encantou imediatamente.

O primeiro livro da série “Nefilins” nos apresenta a uma protagonista que nunca soube de suas origens, até ser jogada em meio a uma guerra entre anjos que ainda serviam a Deus e os anjos caídos. A autora, Mari Scotti, não criou apenas um triângulo amoroso comum, ela foi muito além disso. A questão aqui não é escolher apenas entre dois homens, mas entre dois futuros, dois destinos, literalmente entre o céu e o inferno.

Após a chegada de Pietro, novo vizinho de Suzanna, sua vida mudou completamente. Foi impossível não se encantar, e se apaixonar completamente, por aquele homem incrível. E aqui, a palavra incrível vai muito além de apenas beleza ou personalidade. Ele parecia poder fazer coisas que ninguém mais poderia, nem um ser humano normal pelo menos.

No mesmo período, chegou um novo aluno a escola de Suzanna, Arthur. Ele parecia sentir prazer em perturbar Suzanna, em tirá-la do sério e também estar sempre por perto. A protagonista já tinha um namorado perfeito, Pietro era um homem encantador, que a fazia esquecer qualquer problema quando lhe tocava, mas ter Arthur em sua vida começava a ser algo recorrente, quase como se eles tivessem algum tipo inexplicável de conexão.

É muito interessante como a autora nos conduz durante essa narrativa. Em momento algum ela deixa explicito, ou facilmente perceptível, qual dos dois homens na vida de Suzanna pertence ao lado do bem e do mal. Até a autora realmente nos querer passar essa informação, as atitudes, escolhas e palavras dos co-protagonistas nos deixam em dúvida de qual caminho ela deve seguir, de qual lado ela deve escolher. Além do mais, ela não sabe basicamente que deve escolher um caminho, e nós leitores também, durante grande parte da obra.

Essa obra tem uma maneira toda própria, e genial, de nos falar sobre esses seres bíblicos. Uma releitura incrível sobre o que é o bem e o mal, como o amor funciona para anjos e seus irmãos caídos. Algo completamente diferente do que imaginamos sobre esse tema.

“Insônia” é um livro sobre escolhas, mas de uma forma completamente singular. Como escolher algo se você não conhece realmente as opções? Como escolher alguém sem conhecer realmente as consequências? Incrível e instigante, com um final arrasador. Estou mais do que preparada para ler a sequência.  
Leia Mais

Passarinha

| 28 novembro 2017 | 4 comentários:


Autora: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Páginas: 224
Gênero: Ficção

Sinopse: No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai – a si mesma e todos a sua volta –, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Indicado para quem gosta das obras:
- O lado feio do amor, de Colleen Hoover
- Redoma, de Meg Wolitzer
- A máquina de contar histórias, Maurício Gomide

Frases marcantes:

“O cinzento do lado de fora também está do lado de dentro. Dentro da sala. Dentro do armário. Dentro de mim. É tão cinzento que quando acendo um abajur fica forte demais e dói. Por isso os abajures estão apagados. Mas ainda assim está claro demais.” Página 12

“Fico surpresa por só estar aprendendo essa palavra agora. Ela é a minha cara! É o que tento fazer todos os dias para Lidar Com essa situação difícil chamada vida.” Página 90

“Fico olhando para o armário de Devon porque me faz sentir como se um pedacinho dele ainda estivesse aqui. Mesmo sabendo que ele nunca mais vai poder me ensinar a fazer um armário. Que nunca mais vai poder me ensinar nada. Que nunca mais vou vê-lo de novo nem nunca mais vou poder olhar para ele e dizer, Obrigada.” Página 125

“Acho que a boa notícia é que todo mundo vai ter que aguentar ser especial porque todo mundo está vivo.” Página 197
Leia Mais

Ambrose Young

| 27 novembro 2017 | 4 comentários:
Livro: Beleza Perdida
Descrição inicial: O melhor lutador de sua escola, já tinha uma bolsa garantida em uma faculdade prestigiada, grandes amigos sempre o acompanhavam e um rosto que poderia estampar cartazes de cinema.
História geral: Ambrose tinha uma vida perfeita, mas sentia que faltava algo muito importante. Quando ele decidiu servir no exército, ele convenceu os amigos a o acompanharem, mas ele mal podia imaginar que, mesmo desfigurado, seria o único que voltaria.

Ambrose Young é um personagem incrível, que toca nossos corações pelo tamanho de sua dor.  O desejo de fazer algo mais, o levou a ficar com o rosto totalmente desfigurado, mas suas feridas externas não chegavam aos pés da dor e culpa que ele carregava no coração. Ele perdeu seus melhores amigos, todos de uma só vez, em meio a uma guerra, que também o devia ter matado, mas ele sobreviveu, ganhou uma nova chance de recomeçar. Uma chance de encontrar o amor e de se perdoar pelas escolhas que fizera.

“Eles estavam à beira de um precipício de enormes mudanças, e nenhum deles, nem mesmo Ambrose – especialmente Ambrose –, estava animado com a perspectiva. Mas, quer escolhessem ou não dar um passo rumo ao desconhecido, o desconhecido ainda assim viria, o precipício aberto ainda os engoliria inteiros, e a vida como conheciam chegaria do fim. E todos tinham grande consciência do fim.”
Leia Mais

PROMOÇÃO KIT MIMOS LITERÁRIOS

| 26 novembro 2017 | 21 comentários:
Muitos mimos para vocês concorrerem na nossa festa!

a Rafflecopter giveaway

Prêmios:
- Marcadores e livretos (ver imagem).

PROMOÇÃO VÁLIDA ATÉ O DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2017.

Regulamento:
- Seguir o blog Caminho Cultural (Google Friend Connect ou Networked Blogs)
- Deixar um comentário nessa postagem com twitter, facebook ou-mail para contato (ou os dados que você achar necessário para nós entrarmos em contato caso seja sorteado)
- Preencher o formulário Rafflecopter (Quadro branco acima)

Mas não deixe de aproveitar as chances extras \o/

Regras gerais:
- Promoções válidas apenas para pessoas com endereço de entrega no Brasil.
- Todos os prêmios serão enviados até o dia 31 DE MARÇO DE 2018.
- O vencedor de cada promoção tem até 7 dias para responder o nosso contato (ou entrar em contato) com o endereço para envio dos prêmios, após a divulgação do resultado.
- Nós não nos responsabilizamos por qualquer tipo de extravio/furto que possa haver nos correios.
- Nós não nos responsabilizamos caso o participante envie o endereço errado.
- Uma pessoa pode vencer mais de uma promoção
- Qualquer informação quanto à forma/plataforma, data, ou algum item do regulamento das promoções poderá sofrer alterações sem aviso prévio.
- Qualquer questão referente a qualquer uma das promoções que não constar no regulamento, será decidida pelas responsáveis pelo blog CAMINHO CULTURAL. Qualquer dúvida referente à alguma promoção deverá ser encaminhada para o e-mail info@caminhocultural.com



ATUALIZAÇÃO: 


Parabéns, Milena Soares! 
Por favor, responda nosso e-mail em até 7 dias com seus dados para envio dos prêmios.
Leia Mais

PROMOÇÃO KIT AVENTURA

| | 10 comentários:
A aventura chegou com tudo na nossa festa!

Prêmios:
- 1 exemplar do livro “Salsichas Galacticas”
- 1 exemplar da HQ “O Espetacular Homem-Aranha”
- 1 paper toy de Salsichas Galacticas

PROMOÇÃO VÁLIDA ATÉ O DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2017.

Regulamento:
- Seguir o blog Caminho Cultural no Twitter (https://twitter.com/CaminhoCultural)
- Twittar a frase:
Estou concorrendo a um kit aventura no aniversário do @CaminhoCultural http://sorteia.eu/f9C #CaminhoCultural5Anos

Regras gerais:
- Promoções válidas apenas para pessoas com endereço de entrega no Brasil.
- Todos os prêmios serão enviados até o dia 31 DE MARÇO DE 2018.
- O vencedor de cada promoção tem até 7 dias para responder o nosso contato (ou entrar em contato) com o endereço para envio dos prêmios, após a divulgação do resultado.
- Nós não nos responsabilizamos por qualquer tipo de extravio/furto que possa haver nos correios.
- Nós não nos responsabilizamos caso o participante envie o endereço errado.
- Uma pessoa pode vencer mais de uma promoção
- Qualquer informação quanto à forma/plataforma, data, ou algum item do regulamento das promoções poderá sofrer alterações sem aviso prévio.
- Qualquer questão referente a qualquer uma das promoções que não constar no regulamento, será decidida pelas responsáveis pelo blog CAMINHO CULTURAL. Qualquer dúvida referente à alguma promoção deverá ser encaminhada para o e-mail info@caminhocultural.com




ATUALIZAÇÃO:
Parabéns, @foimalzao!

Por favor, nos envie uma mensagem com seus dados para envio dos prêmios em até 7 dias.
Resultado: https://sorteia.eu/f9C+
Leia Mais

Atraído

| 25 novembro 2017 | 3 comentários:
Drew é um típico homem de negócios que nasceu em uma família privilegiada, sempre teve tudo o que quis e agora estava se tornando responsável pelos negócios da família. Ele era ótimo em seu trabalho, trouxe muito dinheiro para o negócio do pai, porém, além do trabalho, ele só se importava em se divertir com mulheres, até Katherine Brooks aparecer em sua vida.

À primeira vista, esse livro parece como muitos outros do gênero que encontramos por aí, porém a autora, Emma Chase, foi muito além e conseguiu criar uma narrativa cativante, inteligente, com um protagonista revelador.

Por ser o narrador dessa narrativa, é incrível conhecer Drew. Um homem sedutor, que nunca se apaixonou em sua vida, que conversa com o leitor durante toda a narrativa, contando como era a sua vida e como ela virou de ponta cabeça ao finalmente encontrar uma mulher que balançaria completamente o seu mundo.

Impossível não se apaixonar pela forma como o protagonista nos conta a sua história. É tão comum encontrar livros em que a mocinha é a narradora, ou que, em uma segunda versão em que se muda o narrador, o protagonista não é exatamente aquilo que nós imaginávamos. Nessa obra, já partimos diretamente para um dos pontos de vista mais incríveis e divertidos que já encontrei em livros.

A princípio, encontramos o protagonista em um estado terrível, doente, abandonado em sua grande cobertura e de coração partido. Como ele ficou desse jeito? Ele faz questão de nos contar, passo a passo, como chegou a aquele ponto. Todas as burradas que fez, seu jeito de ver a vida, como ele era controlador em seu trabalho e, como tudo mudou, quando a mulher mais incrível, inteligente e linda do planeta foi trabalhar ao seu lado.

Drew é o mais sincero dos homens, ao menos com os leitores. Ele pode ter enganado Kate muitas vezes, porém, narrando sua vida, ele sempre nos conta a verdade, inclusive tudo o que os homens pensam e sentem, sobre as mulheres. Pode não ser muito lisonjeiro, mas, da mesma forma que ele usou por tanto tempo as mulheres, a paixão chegou a sua vida, na mesma intensidade. Acompanhar o quanto aquilo mudou o seu mundo, o seu modo de pensar e agir e o quanto ele poderia fazer loucuras por amor, foi uma experiência fantástica.

“Atraído” é um livro para quem gosta de romances quentes, mas que procura algo diferente do convencional. Narrado pelo protagonista masculino, essa obra consegue ser mais interessante, divertida e romântica do que muitos outros do gênero. Fiquei presa a cada uma dessas páginas e é impossível não querer saber mais sobre a história de Drew e Kate, após o fim do último capítulo.
Leia Mais

Química Perfeita

| 21 novembro 2017 | 4 comentários:
Duas pessoas que se escondem por trás das aparências, que gostariam de viver vidas completamente diferentes, que estão em lado opostos do mundo. Brittany é uma garota branca, de família rica e tradicional, que tenta passar para todos em sua escola, e para o mundo, o quanto sua vida é perfeita. Alex é mexicano e membro de uma gangue. Seus destinos jamais se cruzariam, até uma certa professora de química coloca-los lado a lado, e eles finalmente começarem a quebrar os muros que ambos haviam construído.

Esse livro trata de um tema muito delicado, o preconceito como os americanos tratam os imigrantes, como eles podem não se misturar em determinados lugares e o quanto uma pessoa pode se machucar ao tentar fazer isso. Além de uma história sobre o amor de dois estudantes, a autora, Simone Elkeles, fala sobre preconceito, doenças, problemas familiares e criminalidade nessa obra.

Brittany tenta ser a filha perfeita para que os pais possam dar atenção a irmã mais velha. Shelley nasceu com paralisia cerebral, portanto requer os mesmos cuidados de uma criança pequena. Brittany ama a irmã desesperadamente, e tenta não dar nenhum tipo de trabalho ou preocupação aos pais, para que eles pudessem se dedicar cem por cento a irmã, mas não é o que acontece. Seu pai quase nunca está em casa e sua mãe esquece da filha mais velha, dedicando a atenção a aquela que poderá passar para todos a imagem de que são uma família perfeita.

Alex foi obrigado ao seguir os passos do pai e entrar para uma gangue, para que sua família ficasse em segurança. Depois de ter visto o pai ser assassinado, quando era apenas uma criança, ele sabia exatamente o que significava aquela vida e o quanto ele teria que se esforçar para que a mãe e os irmãos ficassem em segurança. Porém, pela primeira vez em sua vida, Alex queria abandonar aquela vida, ser um estudante normal, com o sonho de se formar e ir para a faculdade, junto de Brittany.

Essa é uma narrativa romântica, com protagonistas encantadores, que nos cativam com a sua trajetória e desafios, mas a autora realmente conseguiu desenvolver a história de cada um individualmente, seus desafios, problemas e fantasmas que cada um tinha em sua vida. O quanto eles poderiam perder ao derrubar a fachada que haviam construído, pois somente dessa forma seria possível realmente viver aquele amor.

“Química Perfeita” conta a história de duas pessoas que devem escolher arriscar tudo, mudar completamente suas vidas, ou perder um grande amor. A autora soube realmente encaminhar a sua história para um desfecho perfeito. Alex e Brittany são dois protagonistas de mundos completamente diferentes, que devem arriscar muito por aqueles que amam. Amei cada página e torci cada momento para que, mesmo perante tantos obstáculos, eles pudessem encontrar seu merecido final feliz.
Leia Mais

Brasil Hallyu Expo 2017

| 20 novembro 2017 | 3 comentários:
Nos dias 19 e 20 de novembro, em São Paulo, aconteceu o Brasil Hallyu Expo 2017, evento que celebra e promove a cultura coreana no Brasil.

Com ingressos distribuídos gratuitamente para o evento, os organizadores lotaram o salão de eventos do WTC Business Club, com admiradores da cultura coreana que estavam presentes para conferir artesanatos, dicas de dramas coreanos, saborear a comidas típicas, conhecer produtos de beleza e curtir muito K-pop.

A grande atração do evento, que levou o público ao delírio, foi a apresentação especial do grupo coreano Blanc7, em sua segunda visita ao Brasil. Apesar de ser um grupo novo no mercado, já possui uma legião de fãs e hits de sucesso que arrancaram gritos histéricos e muitos aplausos dos fãs.

Os presentes no evento também puderam participar de workshops de artesanato e gyubang (hanbok, bordados pojagi e ornamentos), demonstração de maquiagem coreana, aula de K-pop e sorteios.

Confira as fotos do evento:























Leia Mais