O Segredo de Emma Corrigan

| 20 novembro 2018 | Nenhum comentário:


Editora: Record
Adquira o seu exemplar: Amazon

Aquela podia ter sido a última viagem de avião de Emma. A última vez em que ela poderia conversar com alguém. A última vez que ela pensaria sobre todos os seus erros. O avião despencaria a qualquer momento, a levando diretamente para a morte. Então, qual seria o problema em contar todos os seus segredos para o estranho do assento ao lado? Isso não seria um empecilho, se o avião pousasse não em segurança e o seu companheiro de viagem não fosse o seu futuro chefe.

Um livro romântico, hilário e original. A protagonista, Emma, é uma pessoa completamente louca, como se tivesse um mundo completamente alternativo, mas fantástico, em sua mente. Ela age de forma espontânea, sente as coisas que acontecem a sua volta como se tudo fosse trágico, não se sente querida em sua própria família e tem coragem o suficiente para largar um namorado de anos para embarcar em uma paixão que começou há cinco minutos.

É impossível não encarar Emma como uma amiga louca que não mede as consequências de seus atos e depois vai precisar de um ombro amigo para chorar. Assim como é impossível terminar o livro e não sentir sua falta. A autora não apenas criou uma personagem interessante para ser sua protagonista, ela escreveu sobre alguém gente como a gente, com defeitos, qualidades, propósitos, que comete vários erros, que quer que as coisas aconteçam sem esforço, não é exatamente a melhor naquilo que ela faz... são todos esses fatores que a tornam, acima de tudo, humana, como alguém que estaria ao seu lado no trabalho, isso que a faz tão especial.

A narrativa gira em torno de Emma ter contado todos os seus segredos a Jack, ninguém mais, ninguém menos que o dono da empresa onde ela trabalhava. Por conta de sua reclusão, muitos não conheciam o homem que fundou aquela empresa milionária, e Emma se mete em muitas enrascadas tentando provar para o chefe que ela era uma boa funcionária e que não cometia todos os deslizes que tinha confidenciado.

Toda essa interação entre chefe e funcionária não poderia passar em branco. Duas mentes tão criativas, mas em muitos aspetos tão opostas. Jack sabia tudo sobre a vida de Emma. Emma não sabia nada sobre a vida de Jack. O empresário atraído por uma mulher tão aberta, sem segredos, com uma personalidade tão marcante, que o havia abalado desde a primeira palavra. Uma funcionária que não conhecia bem o seu patrão, mas sabia que tinha o suficiente para saber que estavam vivendo algo muito especial.

A autora, Sophie Kinsella, se não pudesse ser ainda mais perspicaz, criou um conflito tão engraçado, quanto tenso para a história. Mal podia imaginar uma cena que colocasse a protagonista em uma situação tão embaraçosa, tão engraçada, mas um pouquinho angustiante. Uma sacada fantástica para uma narrativa já tão cativante.

"O Segredo de Emma Corrigan" é um romance leve, mas nem por isso deixa de ser extraordinário. A protagonista, e seus segredos, levam o livro de forma engraçada, regado a suspiros e muito amor. Uma ótima dica!
Leia Mais

As Mil Partes do Meu Coração

| 18 novembro 2018 | 2 comentários:

Editora: Galera Record
Adquira o seu exemplar: Amazon

Merit vive em uma família cheia de segredos. Segredos que ela é obrigada a guardar, segredos que a estão corroendo a todo o momento. Quando dois novos moradores chegam em sua casa, eles vêm carregados de novos segredos e prontos para piorar ainda mais a situação já delicada da vida de Merit.

Colleen Hoover é uma autora que consegue criar personagens que realmente desnudam suas almas durante o tempo de um livro, nos impactam com seus sentimentos e nos inundam com seus anseios, desesperos e emoções.

Conhecemos aqui uma família muito peculiar. Enquanto a mãe doente vive no porão, o pai vive no andar de cima com sua nova esposa (e ex-amante), o fruto desse relacionamento e os outros três filhos. Merit é quase como a ovelha negra da família, aquela que ama causar desavenças, mas tudo isso para esconder, até de si mesma, o que realmente se passava dentro de seu coração e de sua mente.

Ressentida por uma mãe que não saía há anos do porão e parecia não se importar com os filhos, um pai que havia traído a mãe doente com a enfermeira da mesma, uma madrasta que se portava como dona da casa, uma irmã gêmea perfeita a quem todos admiravam e um irmão mais velho com um segredo que não deixava a sua mente. Para completar, o namorado da irmã, por quem ela sentia uma profunda atração, e o irmão surpreendente de sua madrasta são os novos moradores daquele lugar que poderia ser tudo, menos um verdadeiro lar.

Nenhuma família é perfeita, mas a autora criou uma família que supera todas as expectativas nesse quesito. O livro é narrado todo do ponto de vista de Merit, então por grande parte da obra não vemos essas questões das perspectivas dos demais, porém, como bem explanado na obra, tudo é uma questão de perspectiva.

Assim como demoramos para enxergar realmente a protagonista, também demoramos a entender como aquela família pode ter chegado a aquela situação. Culpamos por muito tempo as pessoas erradas e nos surpreendemos quando a protagonista revela todos os segredos, não por essa revelação em si, mas por aquela ser somente a ponta do iceberg.

A falta de comunicação em uma família pode ser mais destrutiva do que traições, mágoas ou desavenças. Esse livro é uma aula sobre tentar entender o outro, conversar sobre os problemas, perceber quando você está precisando de ajuda. Todos temos problemas, nenhum problema é maior que o outro, mas precisamos sempre colocar tudo em perspectiva, ou nossos atos podem ter consequências desastrosas.

“As Mil Partes do Meu Coração” é a história de uma família tão imperfeita devido ao afastamento e segredos, mas que pode começar a se entender, apenas começando a conversar verdadeiramente, ver os problemas dos demais e os seus próprios como algo que deve ser resolvido de forma coletiva. Uma narrativa grandiosa, mesmo que seu foco seja uma pequena família, mas com sentimentos para um país inteiro.
Leia Mais

Eu e Esse Meu Coração

| 16 novembro 2018 | 2 comentários:


Autora: C. C. Hunter
Editora: Jangada
Adquira o seu exemplar: Amazon

Leah McKenzie já tinha aceitado que iria morrer. Com apenas 17 anos já estava com seu segundo coração. Um coração artificial, pois seu primeiro coração morreu devido a um vírus. Porém nunca ninguém viveu muito tempo com um coração artificial e a esperança é difícil, pois precisa de um transplante, porém o seu tipo raro de sangue complica um pouco mais a situação.

Conformada que possui uma “data de validade”, Leah cria uma lista de coisas a fazer antes de morrer. Com essa lista, Leah só demonstra o quanto é corajosa e enfrenta sua doença de cabeça erguida. A fase de chorar ficou para trás e agora ela tenta aproveitar o que pode em seus dias contados. Um dos itens é ler 100 livros. Os livros são os grandes companheiros de Leah, pois a ajudam a fugir daquela realidade e proporcionar um descanso merecido a sua mente.

Leah também sempre pode contar com seus pais, mas sente que a vida deles ficou parada desde que adoeceu. E se sente culpada em relação a isso. Mas também possui sua grande amiga Brandy, que continuou do seu lado mesmo após a sua saída da escola.

Em uma virada do destino, Leah recebe a notícia que há um coração compatível disponível e sua mente vira do avesso. Ela fica feliz, mas também um pouco frustrada, afinal ela fez diversos planos, pois estava morrendo. Porém não fez nenhum plano para viver!

Após se recuperar do transplante, Leah começa a ter sonhos estranhos. Com alguém fugindo e uma arma disparando. Com o tempo, Leah descobre que recebeu o coração de seu ex-colega de escola Eric Kenner, que a polícia concluiu que cometeu suicídio. Mas esses sonhos com Eric fazem com que algo nessa versão não bata.

Leah vai à procura de Matt Kenner, irmão gêmeo de Eric, que não acredita que o irmão cometeu suicídio e faz de tudo para provar o contrário. Desse modo Leah começa a ajudar Matt a descobrir o que realmente aconteceu com Eric. Leah e Matt possuem uma atração inegável um pelo outro e desse modo se tornam o sustento emocional um do outro. Mas nenhum dos dois tem noção do perigo que estão enfrentando quando estão à procura de um suposto assassino.

As relações emocionais colocadas no livro são de uma ternura imensa. A dificuldade do luto. A tristeza da doença. A felicidade e a esperança com um transplante. A culpa pela sua vida depender da morte de outro. As dificuldades de uma adolescente de ser transplantada e mesmo assim tentar levar uma vida o mais normal possível. Encontrar um grande amor.

“Eu e esse meu coração” é um livro dinâmico, que nos leva a torcer pelo lindo relacionamento entre Leah e Matt e também nos leva a curiosidade para saber o que realmente aconteceu com Eric Kenner. Afinal foi um suicídio ou um assassinato?
Leia Mais

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

| 14 novembro 2018 | Um comentário:
Acredito que todos os fãs da série "Harry Potter" tenham ficado felizes e emocionados com o lançamento do filme "Animais Fantásticos e Onde Habitam" em 2016. Apesar de ser um longa fantástico (e focado nos fãs), o primeiro filme da nova série da autora J.K. Rowling é muito mais introdutório e com menos revelações fantásticas do que encontramos na incrível sequência "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald".

Um começo dramático e emocionante. Muita ação com a fuga do maior bruxo das trevas de que já se tivera notícia até aquele momento. Uma sequência tensa e de tirar o fôlego, deixando bem claro o quanto os ministérios temem a ameaça que Grindelwald representa perante tudo o que ele prega para os seus seguidores.

Newt Scamander se encontra mais uma vez no centro dos acontecimentos pela sua relação com Alvo Dumbledore. Apesar de, dessa vez, os animais em sua maleta não serem o fio condutor da trama, eles continuam sendo de estimada importância, tanto protagonizando cenas divertidas, quanto sendo responsáveis por definirem o rumo de algumas sequências.

O quarteto principal vem com uma dinâmica completamente diferente, apesar de continuarem com as mesmas características/personalidades, agora eles conhecem uns aos outros e seus sentimentos, o que cria cenas fantásticas, que não foram possíveis no filme anterior, quando eles ainda estavam se conhecendo e entendendo seu papel naquele grupo peculiar.

Esse absolutamente não é um filme para quem ainda não foi apresentado a esse universo. Talvez seja possível captar uma ideia geral da narrativa, mas será impossível realmente entender a história e captar todas as referências. A relação de Dumbledore e Grindelwald, por exemplo, não é algo tão explorado no filme, mas não é necessário mais do que poucas cenas para que os fãs compreendam as situações, pois já temos uma bagagem profunda sobre a história dos personagens, do que eles viveram juntos e, inclusive, de que forma essa relação chegará ao seu derradeiro fim.

Se o primeiro filme nos apresenta novos personagens e nos introduz o antagonista, nessa continuação nós vemos realmente o motivo pelo qual J.K. Rowling quis contar essa história. O mundo bruxo vive uma grande ameaça e segredos muito antigos serão revelados. Segredos que farão todos enlouqueceram ao final do filme, quando começarem os créditos. Será necessário (e indispensável, pelo bem da sanidade mental de qualquer fã) assistir a continuação para saber como muitas questões serão resolvidas, inclusive de questões cronológicas, que talvez não sejam completamente compreensíveis nesse momento.

"Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald" não é apenhas um filme. É o sonho de todos os fãs voltando às telas para nos encantar com mais um capítulo desse universo fantástico. Novos e antigos personagens em um passado com muitos segredos a serem revelados. Como aguentar esperar mais dois anos pelo próximo filme, principalmente quando tudo leva a crer que a história se passará bem próximo a nós?

A única solução é curtir esse longa mágico mais algumas vezes no cinema...
Leia Mais

A Escola do Bem e do Mal 4 – Em busca da Glória

| 12 novembro 2018 | 2 comentários:

Autor: Soman Chainani
Editora: Gutenberg
Adquira o seu exemplar: Amazon

Após derrotarem o diretor da escola, o conto de Sophie e Agatha deveria ter chegado ao seu fim, com Sophie encontrando seu final feliz como Reitora do Mal e Agatha com Tedros em Camelot, onde eles seriam os Reis que trariam de volta os dias de glória do Reino. Porém, uma nova ameaça está à espreita, Tedros não é aceito como Rei legítimo de Camelot, missões dos alunos do quarto ano estão sendo ameaçadas e tudo parece convergir para uma grande e surpreendente revelação.

Quando terminei o terceiro livro, fiquei com um pouco de medo do que poderia encontrar na continuação. Apesar de amar a narrativa criada pelo autor Soman Chainani, “Infelizes Para Sempre” terminou de uma forma tão perfeita, tão bem fechada, que tive um certo receio de que esse livro não ficasse à altura dos anteriores. Ledo engado.

O autor nos mostrou nessa obra o quanto Sophie, Agatha e Tedros ainda têm histórias para contar e problemas para serem resolvidos. A inserção de novos personagens deu um fôlego ainda maior, e criou um ritmo ainda mais emocionante para essa nova história.

Nessa sequência, acompanhamos Tedros e Agatha tentando assumir seus novos papéis. Para que a coroação de Tedros fosse bem-sucedida, sua última missão deveria ser tirar a espada Excalibur de uma pedra, assim como seu pai um dia fizera. Ao não conseguir retirar a espada, o príncipe, não bem aceito como Rei, deixou suas inseguranças o afetarem, o fazendo confiar em quem ele não deveria e o afastando de seu amor verdadeiro.

Agatha também não achava estar se saindo bem no papel de futura Rainha. Seu principal desejo era ajudar Tedros em suas dificuldades, encontrar uma maneira de salvar aquele Reino que já foi tão grande e poderoso, mas sua principal obrigação era organizar seu casamento, algo que Sophie faria com destreza, mas para ela poderia ser o fim.

Na Escola do Bem e do Mal, Sophie se mostrava a reitora do mal mais peculiar que já surgiu. Não entendendo muito bem seu cargo, ou o conduzindo ao seu bel prazer – o que poderia ser algo muito perigoso –, ela agia como se não precisasse de ninguém, dizia a todos ao seu redor que estava bem sozinha e que nunca mais precisaria de um príncipe.

Quando um novo vilão surge, uma ameaça como nunca antes vista, os personagens voltam a se juntar, a tentar superar seus erros, desconfianças, porque só assim seria possível encontrar um final feliz real. Algo que provavelmente eles ainda estejam longe de alcançar, pois, o final desse livro pode ser tudo: desesperador, tenso, cruel... menos feliz.

“A Escola do Bem e do Mal 4 – Em busca da Glória” continua essa série incrível, única, de forma realmente surpreendente. Estou chocada com todos os acontecimentos e muito feliz de reencontrar esses personagens fantásticos. O final desse livro é o mais desesperador de se ler quando não se tem a continuação em mãos. Estou muito abalada com tudo o que aconteceu e muito ansiosa para saber como os problemas irão se solucionar no próximo livro.
Leia Mais

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

| 11 novembro 2018 | 3 comentários:

Mesmo após a sua morte, a mãe de Clara deixou para a filha uma grande aventura. Em busca de uma chave para abrir o último presente deixado por sua mãe, Clara encontra um mundo fantástico, encantando, repleto de cores e magia, mas que estava em guerra. Agora, cabia a Clara a missão de encontrar a chave para trazer de volta a paz para os Reinos criados por sua própria mãe.

Um filme carregado de encantos. Uma história repleta de magia e aventura, contada a partir de um visual pensado para deslumbrar com cores, figurinos e cenários fascinantes. Assistir em 3D, traz ainda mais para o nosso mundo esse show de imagens e criatividade.

Mackenzie Foy está incrível no papel da protagonista. Não tive a oportunidade de ver a atriz em outro papel desde a saga “Crepúsculo”, portanto, foi uma grande surpresa poder vê-la encabeçar uma narrativa desse porte com tamanha delicadeza.

Na adaptação para o filme, os Quatro Reinos estão em guerra após a traição de um de seus regentes. Ao lado do Quebra-Nozes, Clara deve descobrir o motivo dessa guerra e tentar fazer o possível para defender os Reinos restantes, impedindo que a regente do Reino do Divertimento submeta os demais ao seu comando.

Apesar de toda a ação e aventura envolvidos na premissa da história, também podemos nos emocionar com o drama presente no roteiro. Filhos que perderam a mãe e um marido que perdeu a sua esposa. Pessoas que ainda sofrem imensamente essa perda, mas lidam cada um com ela a sua maneira, sem compreender os demais. Esse também é um dos pontos chaves do filme. Entender a dor do outro e conseguirem seguir em frente, mas juntos, como uma verdadeira família.

Um filme para todas as idades, e preparado para garantir diversas emoções. Uma aventura de tirar o fôlego, visualmente encantador, personagens feitos para garantir cenas cômicas para nos levar as gargalhadas e toques de drama e tristeza, para comover e emocionar, talvez até levar a quem está assistindo a algumas lágrimas.

“O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos” nos leva a um universo de magia onde o tempo passa mais rápido que em nosso mundo e, quando você piscar, o filme terá chegado ao fim. Encantador e mágico, perfeito para quem ama ser seduzido e encantado por histórias de fantasia.
Leia Mais

O Príncipe Cruel

| 09 novembro 2018 | 3 comentários:

Autora: Holly Black
Editora: Galera Record
Adquira o seu exemplar: Amazon

Com apenas sete anos de idade, Jude viu seus pais serem mortos em sua frente por um poderoso feérico do Reino das Fadas.  Sem escolha, ela e suas irmãs Vivi e Taryn, são levadas para viver nesse Reino estranho e traiçoeiro.

Após viver por longos dez anos no Reino das Fadas, tudo o que Jude quer é se encaixar. Não ser uma aberração, por ser humana e mortal. Apesar de todas as dificuldades já passadas nesse reino, Jude sente que este é o seu mundo, pois não saberia mais viver no mundo humano. O problema é que a maioria dos feéricos desprezam completamente os humanos por acha-los inferiores, todo dia é uma batalha contra o desprezo e as humilhações que sofre.

Em casa até que a situação não é tão complicada, mesmo morando com o assassino de seus pais, que se sente em dívida com Jude e suas irmãs. A relação demonstrada entre o general Madoc e Jude é um tanto quanto complicada, ele trata as meninas como se fossem suas filhas, de modo até carinhoso, mas Jude nunca se esquece do que ocorreu e como foi parar no Reino da Fadas.

Porém fora da segurança do lar de Madoc, as coisas são diferentes. Jude e Taryn, sua irmã gêmea sempre são alvos de zombarias por serem humanas. O medo é uma constante na vida de Jude. Esse sentimento é muito bem demonstrado durante o livro, e também essencial para o crescimento da personagem, pois chega um momento em que se cansa de sentir medo e a coragem prevalece.

O Reino das Fadas possui uma grande família Real, mas o pior de todos com certeza é o jovem Príncipe Cardan (e claro que o que ele tem de perverso, ele tem de bonito, isso Jude não pode negar). Estudando no mesmo local que o príncipe, Jude se torna seu alvo favorito para ridicularizarão e escárnio junto a seus colegas. Mas Jude acaba por enfrentar o príncipe sem baixar sua cabeça e tem que lidar com a consequência de seus atos. Afinal, Cardan não pode suportar ser desafiado por uma mera mortal.

Em busca de conseguir um lugar na corte e finalmente ser aceita, Jude faz um acordo com o Príncipe Dain, o terceiro filho do Grande Rei Eldred e possível próximo Grande Rei. O acordo parece ótimo, porém Jude não tem noção da complexidade das armadilhas e trapaças dentro da família real e no que está se metendo. E com a ameaça de traição pairando no ar, em quem Jude pode confiar?

O Príncipe Cruel nos traz o Reino das Fadas de modo surpreendente. A heroína é forte, mesmo sentido medo, possui caráter, determinação e tenta de tudo para se encaixar em um mundo que não é o dela. As intrigas criadas pela autora nos fazem devorar o livro, pois a cada página lida algo de novo e surpreendente acontece. E lembrando que esse é apenas o primeiro livro da série O Povo do Ar. Que venha a continuação!
Leia Mais

Anna Vestida de Sangue

| 07 novembro 2018 | 3 comentários:


Autora: Kendare Blake
Editora: Verus
Adquira o seu exemplar: Amazon

Desde a morte de seu pai, Cas sempre soube que o seu destino seria o mesmo. Usar o punhal que estava há gerações em sua família para eliminar fantasmas que prejudicavam os vivos, enviá-los para algum lugar além do nosso alcance. Quando sua missão o leva para uma pequena cidade, assombrada por uma menina que morreu muito jovem, ele jamais imaginaria o quão poderosa Anna seria, e o quanto ele precisaria de ajuda para fazer com que ninguém mais morresse por suas mãos.

Mudando um pouco a ordem das publicações, conheci a autora Kendare Blake com o livro "Três Coroas Negras", também fantástico. Ler essa obra só prova o quanto a escritora lida bem com livros de fantasia, assuntos mágicos e sobrenaturais. O quanto suas histórias podem se tornar interessantes, controversas e seus personagens surpreendentes.

"Matar" fantasmas nunca foi algo fácil, mas Cas nunca tinha sido tão massacrado por alguém já morto, até invadir a casa de Anna. Ele sabia que só tinha saído de lá vivo porque a menina havia permitido. Ele não conseguia entender como ela conseguia se segurar, não machucá-lo realmente, quando perante qualquer outra pessoa o destino era o mesmo: destruição, morte, membros despedaçados...

A autora não mede esforços para nos mostrar a crueldade de Anna, assim como também podemos conhecer seu outro lado, uma menina que perdeu a vida muito cedo, de forma cruel, e que não deseja pensar na forma como morreu, ou nas mortes que já causou. Cas é algo que ela deseja, mas sabe que não pode ter, assim como Cas não quer ninguém em sua vida. Ou pelo menos, nunca desejou alguém vivo em sua vida.

É incrível ler essa narrativa, se surpreender (e chocar) com as revelações apresentadas, a forma como algumas tragédias aconteceram e com o real antagonista da trama. Apesar de serem duas narrativas completamente distintas, não pude deixar de pensar no livro "A Mediadora" enquanto acompanhava essa obra. Apesar de Jesse e Anna seguirem por caminhos completamente opostos em suas novas "vidas", temos aqui também a questão se poderia ser possível o relacionamento entre uma pessoa viva e alguém que já morreu e como a autora poderia resolver esse dilema.

Cas nunca teve realmente uma vida, sempre se mudou com o pai, e depois somente com a mãe, em busca de lugares assombrados por fantasmas que feriam outras pessoas e precisavam ser detidos. Por mais que ele não soubesse para onde realmente mandava esses fantasmas, o seu punhal os fazia desaparecer para sempre, e para ele sempre foi o suficiente, até que ele conhece uma fantasma que não quer que desapareça, mas também não pode permitir que ela continue fazendo mal aos outros. Pela primeira vez em sua vida ele teria que aprender a confiar em algo além de seu punhal, em pessoas vivas, em algo que ele nunca teve: amigos.

"Anna Vestida de Sangue" é uma obra fantástica, mas forte e cruel. Aqui os fantasmas podem ser bem perversos. Encontrar corpos despedaçados em qualquer momento deixa logo de ser uma surpresa e passa a estar entranhado nas veias dessa história por muitas vezes macabra. Apesar disso, também podemos contar com inspiradoras histórias de amor e a construção de uma grande amizade. Achei a obra incrível, mas o final é indescritível. Só sei que preciso nesse exato momento iniciar o próximo livro.
Leia Mais

O Príncipe dos Vampiros: Segredos de Sangue

| 05 novembro 2018 | 3 comentários:


Editora: Charme
Adquira o seu exemplar: Amazon

Um Reino governado por gerações de vampiros, que viviam em harmonia com humanos e com monstros de outras espécies. Guerreiros que batalhavam para manter essa paz e a coroa de seu soberano. Conexões entre dois vampiros que vão muito além de simplesmente amor ou paixão. Traições, traumas, coragem e luta. É disso que se trata essa grande história.

Mia era uma exímia guerreira, que lutava para defender a paz batalhada pelo seu Rei. Quando ela é retirada do campo de batalha, para ser mentora do futuro Rei, o príncipe Orion, ela jamais imaginaria ter com ele uma conexão quase mítica, algo completamente impensável para uma guerreira e seu futuro Rei.

Orion não queria assumir tão cedo a coroa de seu pai, mas as circunstâncias o obrigaram a aceitar tão cedo esse fardo. Apesar de seus mais de quinhentos anos, ele não se sentia preparado para tamanha responsabilidade, muito menos escolher alguém para ser sua Rainha. A menos que surgisse em sua vida alguém que causasse nele sentimentos e sensações inexplicáveis, alguém que o fizesse desejar nada mais no mundo. Principalmente uma vampira corajosa e linda, preparada para defender o seu Reino, custe o que custasse.

Com certeza, uma das minhas histórias de vampiros favoritas. Que livro espetacular! Os protagonistas não são apenas apaixonantes, acompanhar sua trajetória se torna um vício, impossível embarcar nesse mundo noturno e não desejar que ele nunca acabe.

O príncipe vampiro é um personagem singular. Ele consegue ser arrogante sem ser desagradável. Um vampiro que nasceu em meio a elite de sua raça, foi criado com zelo, mas não deixou de olhar pelos necessitados, não deixou de amar seu povo, mesmo antes dele mesmo, de suas necessidades, de seu grande amor. Ele é incrível, com um humor marcante e uma paixão arrebatadora. Conhece suas fraquezas, mas não as esconde, ou as usa como desculpa para não enfrentar suas obrigações.

A outra narradora dessa obra, Mia, não nasceu para ser uma princesa, muito menos uma Rainha. Ela se entendia muito bem com uma espada na mão e um inimigo a ser enfrentado, por essa razão, quando a sua frente está um príncipe, que ela deveria guiar em direção ao trono, e não sentir um desejo avassalador, uma necessidade de proteção e um amor sem igual, isso a assustou mais do que um exercito inteiro vindo em sua direção.

Essa forma de amor criada para a narrativa é algo arrebatador, porém, não é apenas essa a linha que guia a história. Apesar de ser algo de estimado valor para a obra, as autoras não se prenderam apenas ao relacionamentos dos protagonistas, elas foram muito além.

O livro consegue introduzir o leitor na sociedade em questão, nos apresentando todas as suas peculiaridades, e criando uma série de acontecimentos que culminam na fantástica sequência paralela a história de amor dos protagonistas, regada a intrigas, traições e luta pelo poder.

"O Príncipe dos Vampiros: Segredos de Sangue" é uma obra que superou todas as minhas expectativas. Um livro de tirar o fôlego do começo ao fim. Impossível conhecer esses personagens, acompanhar a sua trajetória e não se empolgar a cada momento. Seja pela história de amor e paixão, ou por todos os conflitos de um Reino em que pessoas cruéis estão dispostas a tudo para alcançar seus objetivos, tenho certeza que essa é uma obra para agradar diversos públicos e encantar muitos leitores. Eu estou mais do que encantada com essa narrativa.
Leia Mais